You are here

Direito a Envelhecer

Garantir o direito a um envelhecimento com qualidade e emancipado exige o combate à estigmatização da velhice e políticas públicas em conformidade em áreas como a saúde, a habitação, os rendimentos e o trabalho. Dossier organizado por Mariana Carneiro.

Neste dossier, publicamos o artigo de Maria Luísa Cabral sobre de que forma o Estado deve intervir para que o envelhecimento não pese mais do que o inevitável.

Moisés Ferreira explica como é possível ter um envelhecimento com mais qualidade de vida, com mais saúde e com melhores respostas na doença e Ana Freitas escreve sobre o envelhecimento e saúde mental em Portugal.

Na área da habitação, Maria Manuel Rola lança o desafio de “Pensar a cidade e habitação a partir das necessidades dos idosos” e Graça Marques Pinto defende a necessidade de avançar com um novo paradigma para o envelhecimento e de o Estado investir em projetos de coabitação colaborativa sénior.

O dossier inclui ainda um resumo da apresentação de Júlio Machado Vaz no Fórum Socialismo 2019, intitulada “Envelhecer bem é trabalho para toda a vida”, bem como o texto de apoio ao debate “Pela nossa saúde: respostas públicas para o envelhecimento”, no qual Lúcia Cunha defende que "as políticas para o envelhecimento de qualidade devem ser políticas que pensem a qualidade de vida para todos nós, pensando no futuro de todas as gerações".

(...)

Resto dossier

Direito a Envelhecer

Garantir o direito a um envelhecimento com qualidade e emancipado exige o combate à estigmatização da velhice e políticas públicas em conformidade em áreas como a saúde, a habitação, os rendimentos e o trabalho. Dossier organizado por Mariana Carneiro.

Envelhecer, uma coisa do quotidiano

O envelhecimento biológico não acontece por escolha do próprio. Mas só envelhece bem quem pode. Para que o envelhecimento não pese mais do que o inevitável, a comunidade tem de estar apetrechada para colaborar e o Estado tem de se preparar para intervir. Por Maria Luísa Cabral.

Políticas públicas para envelhecer com qualidade de vida

Sim, é possível ter um envelhecimento com mais qualidade de vida, com mais saúde e com melhores respostas na doença, mas para isso é preciso adotar muitas medidas de reforço do SNS e apostar em mudança de alguns paradigmas. Por Moisés Ferreira.

Envelhecimento e saúde mental em Portugal

É necessário transformar a forma como envelhecemos e reposicionar os cidadãos seniores no conjunto do sistema de relações intergeracionais, sociais e económicas, alterando o reconhecimento e valorização social que, de modo global, fazemos destes cidadãos. Por Ana Freitas.

Pensar a cidade e habitação para os idosos: autonomia, justiça energética e urbanismo inclusivo

Como não podia deixar de ser, as políticas de habitação, construção e urbanismo terão que mudar e ser desenhadas para esta população, promovendo e facilitando a sua autonomia e permitindo alternativas às respostas baseadas na institucionalização. Por Maria Manuel Rola.

Um novo paradigma para o envelhecimento

Nesta como em outras questões, urge adotar medidas que coloquem as pessoas e as suas opções no centro da política, potenciando a sua qualidade de vida. Haja vontade política para agir em conformidade! Por Graça Marques Pinto.

“Vivemos numa sociedade prostrada perante os valores da juventude”

“Envelhecer bem é trabalho para toda a vida” foi o tema do painel apresentado por Júlio Machado Vaz no Fórum Socialismo 2019. O médico psiquiatra abordou questões como a necessária transformação dos cuidados de saúde.

Foto de Paulete Matos.

Políticas para envelhecimento de qualidade - políticas para todos e todas!

No texto de apoio ao debate “Pela nossa saúde: respostas públicas para o envelhecimento”, que teve lugar no Fórum Socialismo 2019, Lúcia Cunha defende que "as políticas para o envelhecimento de qualidade devem ser políticas que pensem a qualidade de vida para todos nós, pensando no futuro de todas as gerações".