You are here

Uma das coisas que mais me toca neste orçamento

Sei que não fará capas de jornais, que diz respeito a um grupo relativamente pequeno de pessoas (5 mil) mas é, para mim, das coisas mais importantes que conseguimos neste Orçamento: reconhecer o desgaste rápido dos trabalhadores das pedreiras.

Estamos há mais de um ano a insistir no tema, fizemos assembleias em Perosêlo, uma freguesia de Penafiel, houve uma petição, fez-se um vídeo, falámos desta questão em todas as negociações. E conseguimos. No documento que hoje à noite será apresentado, os trabalhadores das pedreiras passam a ser integrados no regime dos mineiros, que lhes assegura um ano de antecipação da reforma por cada dois anos na extração da pedra. Para quem começou aos 11 anos, como quase todos os que conheço, isto significa que podem reformar-se aos 50 anos de idade. Nunca me esqueço do que é o trabalho nas pedreiras, de como destrói as pessoas, de como a vibração dos compressores dá cabo dos músculos e das costas, de como aos 50 as pessoas não conseguem respirar por causa do pó, da sílica, de como andam de bombas bronquiodilatadoras em punho quando reunimos. Nunca me esqueço do que me disseram num dos nossos encontros, e é verdade: "a idade da reforma que existe, os 66 anos, para nós é a idade da certidão de óbito, não é a idade da reforma". A extração e transformação da pedra é dos trabalhados mais duros e que mais acidentes provoca, é dos trabalhos que mais encurta a esperança de vida. Responder a estas pessoas era por isso uma questão elementar de justiça.

Isto não é só uma pedra
Isto não é só uma pedra

Desde o dia em que lá fui, a Penafiel, que este paralelipípedo que um dos trabalhadores me deu - cortado por si e igual a tantos outros que pisamos todos os dias nas nossas calçadas - está pousado na minha mesa. Cheguei a levá-lo numa tarde para o Plenário, quando falei dos trabalhadores das pedreiras. Olho para ele sempre que estou na Assembleia. Hoje, olho para ele de novo e vejo neste paralelo arrancado a um enorme bloco de granito o trabalho destes companheiros. Mas também a sua luta - e a justiça que é possível fazermos.

Artigo publicado na página do facebook do deputado José Soeiro em 15 de outubro de 2018

Sobre o/a autor(a)

Dirigente do Bloco de Esquerda, sociólogo.
(...)