You are here

Ana Bárbara Pedrosa

Doutorada em Ciência Humanas e investigadora em Literatura. Escreve com a grafia anterior ao acordo ortográfico de 1990

Artigos do Autor(a)

2019/02/13 - 9:31pm

O Esquerda.net falou com Stefan Hertmans, escritor flamengo, sobre literatura, o livro “Guerra e Terebintina”, a primeira guerra mundial, redes sociais, feminismo, violência. Por Ana Bárbara Pedrosa.

2019/02/07 - 9:10pm

Amos Oz, um dos mais conceituados autores israelitas, e recentemente falecido, foi uma voz incómoda em Telavive. Defensor dos direitos dos palestinianos a um Estado independente e muito crítico do Estado israelita, foi/é um protagonista fundamental do pensamento sobre o conflito israelo-árabe.

2019/01/10 - 9:03pm

Vai dizer-se que já está ultrapassado. É que é fácil olhar para os títulos e julgar que já estão ultrapassados. Caricatura, gaveta? Sexismo, visão reaccionária, a cada genital o seu impulso, a cada hormona a sua condição social? Mentiras azuis para um lado, enganos cor-de-rosa para o outro? Até na falta à verdade o ser humano se divide entre testosterona e estrogénio? Por Ana Bárbara Pedrosa.

2018/11/29 - 5:05pm

Fukuyama conclui que o nacionalismo e o islamismo (“o Islão político”) podem ser encarados como duas faces da mesma moeda, na medida em que ambos exprimem uma identidade de grupo que procura reconhecimento público. Por Ana Bárbara Pedrosa.

2018/11/27 - 5:10pm

Marisa Matias não foge a uma luta, não foge a um país, nenhum assunto resulta em ombros encolhidos, não há naquela vida de Matusalém um dia de Pilatos.

2018/11/24 - 4:04pm

“O fim do fim da terra” (D. Quixote, 2018) é um conjunto de ensaios escritos maioritariamente nos últimos cinco anos por Jonathan Franzen, autor de obras como “The Corrections” (2001), “Freedom” (2010) ou “Purity” (2015). Por Ana Bárbara Pedrosa.

2018/10/13 - 10:15am

Há 40 milhões de votos sem candidato, é esta gente que tem de juntar-se e reclamar o seu Brasil, pôr uma cruz no nome de Haddad para não a pôr na campa de um país, da democracia.

 

2018/10/01 - 10:26pm

 O Brasil está a viver um momento histórico, de combate acérrimo. Contra a indiferença ao outro e contra o ódio, este sábado, 29 de Setembro, juntaram-se milhões contra o mais facínora candidato da história das eleições presidenciais do Brasil.

2018/09/20 - 10:31pm

O Esquerda.net falou com Afonso Reis Cabral, escritor e editor, sobre o seu segundo romance. Pão de Açúcar ficcionaliza a história do assassinato de Gisberta, transexual morta no Porto em 2006. Por Ana Bárbara Pedrosa.

2018/09/16 - 12:12pm

Aos 28 anos, Afonso Reis Cabral terminou o seu segundo romance. Chama-se Pão de Açúcar, foi publicado pela D. Quixote e ficcionaliza a história do assassinato de Gisberta. Por Ana Bárbara Pedrosa.

Pages