You are here

António Lima

Coordenador regional do Bloco de Esquerda/Açores

Artigos do Autor(a)

2019/11/26 - 10:41pm

Olhamos para os serviços públicos nos Açores e vemos sinais preocupantes de degradação, a vários níveis, que se devem a decisões políticas.

2019/11/17 - 4:09pm

Está na hora do Governo Regional reconhecer o erro e enterrar o processo de privatização e recapitalizar a empresa. Afinal, ela é nossa e não há ninguém que a vá recapitalizar e recuperar por nós.

2019/11/10 - 3:59pm

Na passada semana foi conhecida a sentença do Tribunal Administrativo e Fiscal de Ponta Delgada acerca do concurso público para construção da central de valorização energética (vulgo incineradora) de São Miguel.

2019/10/29 - 12:33pm

De há algum tempo a esta parte que se ouvem, cada vez mais, empresários a lamentar-se publicamente pela falta de mão-de-obra disponível e qualificada nos Açores.

2019/10/22 - 9:29pm

O Bloco consegue, nos Açores, e pela terceira eleição de âmbito nacional consecutiva, ser a terceira força política, desta vez obtendo o melhor resultado eleitoral de sempre em termos percentuais.

2019/10/03 - 7:14pm

A grande - e quase única - proposta do Partido Socialista nestas eleições é a criação de um “Conselho de Concertação com as Autonomias Regionais, composto por membros dos Governos da República e das Regiões”.

2019/09/29 - 5:44pm

O desenvolvimento dos Açores passa pelo conhecimento e pelo desenvolvimento de uma economia especializada em que a ciência e a tecnologia têm um papel fulcral.

2019/07/27 - 12:14pm

A União Europeia e o Mercosul fecharam no final de junho o “Acordo de Associação Estratégica”, ou seja, um acordo de comércio que criará uma das maiores áreas de comércio livre do mundo.

2019/07/22 - 11:33am

Os Açores possuem um território terrestre diminuto. A sua gestão e ordenamento do território deve ser feita com grande rigor e pensamento estratégico a longo prazo.

2019/07/01 - 11:39am

Por diversas vezes os números do déficit têm sido inferiores aos próprios objetivos do Governo. Quem paga esses “brilharetes” de Centeno são os serviços públicos, são as pessoas.

Pages