You are here

Fazer a diferença

A moção "Fazer a Diferença", aprovada na V Convenção Regional do Bloco de Esquerda/Açores, é a expressão do projeto político que oferecemos aos açorianos e açorianas.

O desafio lançado significa, nada mais nada menos, uma rutura com o habitual fatalismo e determinismo acompanhado pela imobilidade e conformismo de uma Região que teima em garantir negócios e rendas chorudas para uma elite, enquanto oferece cheques pequeninos ao povo.

Nas próximas eleições regionais, os açorianos e açorianas podem escolher entre políticas que abram os horizontes da economia da Região, que privilegiam uma justa distribuição da riqueza, aliando à coesão territorial a obrigatória coesão social, e as políticas estafadas e esgotadas de um centrão que já mostrou ao que vem, e que nada mais tem para oferecer do que umas poucas migalhas para o povo e tudo, mas mesmo tudo, para garantir a vida a uns poucos.

O Bloco de Esquerda/Açores assumiu-se, desde sempre, como uma esquerda exigente e comprometida com um projeto político ambicioso de desenvolvimento para os Açores, que pretende tornar possível o que, para um governo de esquerda, nunca deveria ser impossível.

O Bloco de Esquerda/Açores pretende tornar possível, aquilo que muitos julgam, ou querem que continue a ser impossível: o aprofundamento da Autonomia, muito para além da criação de cargos políticos, para que a Região passe a ter poder de decisão vinculativo em Tratados Internacionais que nos digam diretamente respeito. Assim, estamos a valorizar os nossos recursos endógenos.

O Bloco de Esquerda/Açores quer tornar possível a criação de um Centro Público Internacional para as Ciências do Mar, com sede no Faial, e aproveitar o conhecimento já produzido pelo DOP para captar novas fontes de conhecimento que permitam transformar a Região numa referência mundial em investigação científica na área.

É urgente criar uma comissão científica, como primeiro passo a ser dado para o arranque deste projeto, que aliado a competências reforçadas na gestão do nosso subsolo marinho, será fundamental para melhor aproveitarmos futuras explorações de recursos minerais e geológicos nos nossos mares, sem colocar em causa o equilíbrio dos nossos ecossistemas marinhos.

O Bloco de Esquerda/Açores quer tornar possível o que tem sido, até agora, impossível para a base das Lajes. Um futuro que garanta a criação de emprego e de riqueza para a ilha Terceira e para a Região. Está mais do que na hora de procurarmos alternativas para fazer valer a nossa posição geoestratégica, de acordo com aqueles que são os nossos interesses.

Sabemos que são possíveis utilizações civis, comerciais e científicas da base das Lajes, mas que essas utilizações, para serem amplamente aproveitadas, são incompatíveis com a presença e atividade militar com fins belicistas.

São várias as possibilidades, desde a criação de uma base de manutenção para a aviação civil até à instalação de uma Força de Proteção Civil Internacional.

As alternativas são mais do que muitas, e não se podem limitar àquela que deveria ser uma alternativa impossível: a criação de um offshore.

O Bloco de Esquerda/Açores terá uma responsabilidade acrescida perante uma moção que aumentou a fasquia comparativamente à última moção aprovada, mas cumpriremos as expetativas de todos aqueles e de todas aquelas que confiarão o seu voto no Bloco de Esquerda nos próximos dois anos.

Sobre o/a autor(a)

Deputado à Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores. Membro do Bloco de Esquerda Açores. Licenciado em Psicologia Social e das Organizações
(...)