You are here

Afinal os +60 existem!

O resultado do 1º. Encontro Nacional dos +60 pode dizer-se, sem pretender exagerar, um sucesso.

Podemos verificar, com grande satisfação e esperança no futuro que os Bloquistas e não Bloquistas +60, aposentados, pensionistas e reformados, estão interessados em aprender, discutir e ouvir quem mais ou melhor percebe e tem andado a estudar os seus problemas específicos.

Deu para perceber que estão minimamente atentos e recetivos.

Encontro +60 - Foto de Francisco CarvalhoUm outro dado que a mim, pessoalmente, me honrou e deu esperança foi a abertura do Encontro ter sido feita pela nova geração. Dois jovens deputados. Joana Mortágua, deputada eleita pelo Distrito de Setúbal, onde se realizou o Encontro. José Soeiro deputado eleito pelo Distrito do Porto.

A Joana Mortágua referiu a existência de, no distrito, 90.000 pessoas sem cuidados de saúde e a inexistência de transportes para a sua mobilidade nas deslocações. A existência do maior número de Lares ilegais.

Assim sendo, e com estes breves dados verifica-se inexistência de um Sistema de Solidariedade Social.

O José Soeiro traçou o panorama das situações de cortes que caíram sobre os idosos, ressaltando, os aumentos dos transportes, os aumentos das rendas, das taxas moderadoras no SNS e os cortes no RSI. Não só estas como ainda outras que provocaram significativamente o aumento da pobreza sobre os mias idosos.

Não poderíamos ter melhores anfitriões. O orgulho de termos o Futuro de mãos dadas com o Nosso Presente. O carinho e a solidariedade entre as gerações Bloquistas e não só.

E, neste momento, perguntar-me-ão: e houve inscrições para o Encontro de gente com -60? Houve. E houve intervenções de gente com -60 e ainda no ativo? Houve. E houve intervenções de gente na faixa dos -30? E não é que houve?

Encontro +60 - Foto de Francisco CarvalhoDesde a Sessão Plenária com o José Luís Albuquerque e a Helena Pinto, e os 3 Painéis após o almoço, foi um “non-stop” de interesse e participação.

A primeira, muito participada e atenta à apresentação detalhada e explicativa do Luís Albuquerque no seu trabalho sobre as Carreiras Contributivas e as Pensões Sociais. A da Helena Pinto mais dirigida à observação da situação dos idosos desamparados e/ou mal amparados exigindo-se que possam ter direito a uma velhice digna e ainda a um pleno direito à cidadania. A exigência a uma velhice com dignidade, não só em termos económicos, mas também sociais e familiares. Que perspetivas para um futuro que é já amanhã para os que hoje ainda não chegaram aos 60.

Durante as 2 horas de almoço pudemos trocar impressões descontraídas, distender as pernas e apanhar um Sol que animou e sorriu para o nosso sábado.

Acabada a hora de almoço deu-se início aos 3 Painéis previstos para a tarde, e a decorrerem em simultâneo, tendo tido, cada Painel, uma média de 25 a 30 assistentes, de acordo com o tema que cada um deu a sua preferência.

O primeiro, com Mariana Aiveca e a Profª Clara Murteira que nos apresentaram a sua experiência e saber de como se pode e/ou poderá vir a financiar o Sistema Público da Segurança Social e qual o futuro para a TSU.

O desafio proposto pela Mariana Aiveca será entre outras questões, “alargar os consensos necessários que proponham soluções e efetivem as alterações, no sentido da manutenção de um sistema público, com futuro e sustentável, mais justo e universal”.

Encontro +60 - Foto de Francisco CarvalhoA Profª. Clara Murteira apresentou-nos uns slides sucintos e objetivos em como, do seu ponto de vista técnico, não existir qualquer relação entre a sustentabilidade da Segurança Social e a baixa demográfica. Alertou-nos ainda para o facto de que, segundo o seu ponto de vista técnico, o “Estado Social não irá ter futuro dentro desta União Europeia tendo em conta os constrangimentos do Tratado Orçamental.”

O segundo, com Adelino Fortunato e Mariana Mortágua sobre “Plafonamento das Pensões? Onde nos leva? teve por certo muito interesse e calculo que os assistentes terão ficado com uma boa e clara informação explicativa sobre o assunto.

O terceiro, com José Manuel Boavida e Constantino Sakellarides sobre “Que SNS para os +60” foi também, por demais importante segundo as apreciações que fui ouvindo serem feitas pelas pessoas que lá estiveram.

O encerramento deste Encontro foi a cereja no topo do bolo, e cito a intervenção inicial de Catarina Martins através da notícia já publicada no ESQUERDA.NET:

Encontro +60 - Foto de Francisco Carvalho[…] A porta-voz do Bloco falou este sábado no primeiro encontro nacional promovido pelo grupo +60 do partido, que discutiu os problemas e soluções para a Segurança Social, Saúde e Crise Social. Catarina Martins saudou os participantes deste encontro que ao longo do dia debateu temas como a convergência das pensões sociais com as da carreira contributiva, o financiamento da Segurança Social ou a resposta do SNS para os maiores de 60 anos.

“Que num partido que fez das melhores renovações da sua direção nos últimos tempos, as pessoas maiores de 60 se organizem para estudar e trabalharem em nome do futuro das novas gerações que vão precisar da Segurança Social é uma lição do que significa a solidariedade e a luta política mesmo quando tudo parece jogar contra a sensatez da solidariedade entre gerações”, sublinhou Catarina Martins […]

Acho que devo agradecer a todos quantos +60 deram a sua presença o seu interesse e a sua atenção ao “Grupo +60”.

Um bem-haja também muito especial a todos os oradores que com todo o seu empenho e atenção nos enriqueceram com as suas apresentações.

As lutas e as dificuldades estão aí à nossa espera e o nosso direito à cidadania e à dignidade é uma das bandeiras que não podemos deixar cair.

Estamos aí para o que der e vier!

Fotos de Francisco Carvalho

Sobre o/a autor(a)

Reformada. Tradutora e Assistente no Depto. Médico duma multinacional americana da indústria e comércio farmacêuticos. Dirigente do Bloco de Esquerda.
Comentários (1)