You are here

Estivadores voltam à greve e vão celebrar queda do governo

O Sindicato dos estivadores entregou um pré-aviso de greve de dez dias entre 14 e 24 de novembro. Na próxima terça-feira, os estivadores juntam-se à manifestação da CGTP em frente à Assembleia da República, onde o programa de governo deverá ser rejeitado pela maioria de esquerda.
Convocatória dos estivadores para a manifestação de terça-feira.

“Em causa está o fim do contrato coletivo de trabalho, motivado pelas negociatas que estão a ser feitas no Porto de Lisboa, cuja venda foi, em devido tempo, denunciada”, diz o Sindicato dos Estivadores no comunicado em que anuncia a entrega do pré-aviso de greve válido a partir das 8h do dia 14 e até às 8h de 24 de novembro.

A greve inclui "todas e quaisquer operações incidentes sobre a carga e/ou descarga ou sobre a mera movimentação de bens ou mercadorias, em navio ou fora dele, a realizar na zona portuária da área de jurisdição do porto, seja qual for a entidade responsável pelas operações e seja qual for a condição contratual dos respectivos trabalhadores".

Já na próxima terça-feira, dia da discussão das moções de rejeição ao governo de Passos Coelho e Paulo Portas, os estivadores juntam-se à manifestação convocada pela CGTP. “Os estivadores, que desde a primeira hora denunciaram e lutaram contra este governo, fazem questão de se juntar aos demais trabalhadores, desempregados, movimentos sociais e sindicatos que lá estarão para fazer o enterro do pior governo constitucional e celebrar a sua queda”, declara o sindicato na sua página no Facebook.

Termos relacionados Sociedade
(...)