You are here

Multinacional deslocaliza fábrica das Bolachas Triunfo e despede 97 pessoas

A multinacional Mondeléz decidiu encerrar a fábrica de Mem Martins e deslocalizá-la para a República Checa. 97 pessoas ficam sem trabalho. A centenária marca “Bolachas Triunfo” ou acabará ou mais nada terá a ver com Portugal.
Foto de airdiogo/flickr

A multinacional Mondeléz confirmou o encerramento da unidade fabril de Mem Martins, diz que a decisão “prende-se com o facto de a fábrica utilizar apenas 35% da sua capacidade de produção, um cenário que se verifica já desde 2012” e que a maioria da produção será transferida para a fábrica de Opava na República Checa.

O Sindicato dos Trabalhadores da Agricultura e das Indústria da Alimentação, Tabaco e Bebidas (Sintab) foi surpreendido pela notícia. Perante a justificação da multinacional, que diz que há pouca utilização da capacidade de produção, o dirigente do Sintab Fernando Rodrigues afirma: “Esta empresa trabalha sábados e domingos e produz em grande bolachas de água e sal da marca Ritz, não tem dívidas. Mas finalizaram agora uma fábrica na República Checa com grande capacidade de produção…”. Fernando Rodrigues acrescentou ainda, em declarações à Lusa, que "a fábrica tem outras capacidades de produção, que estão subaproveitadas, mas isso é da responsabilidade da empresa, que foi esvaziando a capacidade produtiva da unidade".

Em comunicado, a direção do Sintab “manifestou a sua discordância face à deslocalização do nosso país, desta unidade fabril, provocando a destruição de cerca de uma centena de postos de trabalho”.

O dirigente sindical assinala que a fábrica tem 97 trabalhadores efetivos, mas o encerramento afetará “100 a 120 trabalhadores”, tendo em conta os trabalhadores temporários que lá costumam laborar em certos períodos.

"Há casais a trabalhar nesta empresa e a maioria dos postos de trabalho são ocupados por mulheres, que vão ficar sem emprego, numa área onde existe um elevado nível de desemprego", salienta Fernando Rodrigues.

O dirigente sindical aponta ainda que o encerramento terá consequências também noutras empresas portuguesas, fornecedoras de matéria-primas,

O sindicato vai promover plenários de trabalhadores, vai pedir audiências aos grupos parlamentares e a intervenção da Câmara de Sintra para contestar o encerramento da unidade fabril. Fernendo Rodrigues diz que o Sintab "não está disponível para fechar empresas" e só aceitará assegurar os direitos dos trabalhadores.

A fábrica de Mem Martins produz bolachas Ritz, BelVita, Fruit & Fit, LU, Chipmix, Vitasnella, Triunfo, Proalimentar e Fontaneda e é a única unidade da Mondeléz em Portugal. A multinacional detém ainda as bolachas Oreo e os chocolates Cadbury.

Bolachas Triunfo – uma marca centenária

Foto Margarida/flickr

Em 2013, as Bolachas Triunfo comemoraram 100 anos (como se pode ver numa página da empresa no facebook, assinalando a data). A empresa inicial foi constituída em 1913 por um grupo de empresários de Coimbra.

Em 1994, a Nutrinveste, holding do grupo Jorge de Mello, “passou a deter o controle das Fábricas Triunfo, assim como das marcas Nacional e Proalimentar, ficando responsável pela gestão de 90% da produção nacional de bolachas”, é destacado na referida página da rede social.

Em 2001, a Nutrinveste encerrou a fábrica em Coimbra e concentrou a produção em Mem Martins1.

Em 2004, a Nutrinveste vende a fábrica e as marcas à United Biscuits. Em 2006, a Mondeléz International (ex-Kraft Foods) adquire o negócio de bolachas à United Biscuits, incluindo a unidade fabril de Mem Martins e as marcas portuguesas Triunfo e Proalimentar.

A multinacional Mondeléz decide agora encerrar a fábrica em 2016 e deslocalizar a produção para a sua nova fábrica em Opava, na República Checa, lançando quase 100 pessoas no desemprego.

A marca “Bolachas Triunfo” ou acabará ou não terá mais nada a ver com Portugal.


Termos relacionados Sociedade
Comentários (1)