You are here

Violência doméstica: Este ano já foram mortas 40 mulheres

A GNR divulgou esta semana que, em 2015, já morreram 40 mulheres vítimas de violência doméstica em Portugal. Os números superam os registados em 2013 e 2014.
Segundo o NAIVE, em 2015 "já morreram às mãos de parceiros ou familiares próximos, 40 mulheres portuguesas, provocando a existência de 122 crianças órfãs"

O Núcleo de Investigação e de Apoio a Vítimas Específicas (NIAVE) do comando territorial de Lisboa da GNR divulgou um comunicado na passada terça-feira, 27 de outubro de 2015, segundo o qual durante este ano, "já morreram às mãos de parceiros ou familiares próximos, 40 mulheres portuguesas, provocando a existência de 122 crianças órfãs".

Em 2014, o Observatório da União de Mulheres Alternativa e Resposta (UMAR) apontou que entre 1 de janeiro e 30 de novembro de 2014 foram assassinadas 40 mulheres, a maioria às mãos de atuais ou ex-companheiros. A UMAR apontava ainda que a este número era preciso acrescentar 46 tentativas de femicídio.

Segundo a Lusa, o NIAVE, que se tem dedicado a investigar processos relacionados com violência doméstica e maus-tratos e, nesse âmbito, realizou, desde o início do ano, 27 operações de busca, apreendendo 42 armas de fogo e 1.480 munições.

O NIAVE realizou ainda 27 detenções, que culminaram com a aplicação a estes suspeitos da medida de coação de prisão preventiva, e a retirada de 15 menores vítimas de maus-tratos por parte de familiares.

Porto: Mais violência doméstica em nove meses de 2015 do que em todo o ano passado

Segundo a Lusa, o Gabinete de Atendimento e Informação à Vítima (GAIV) da PSP/Porto anunciou que o número de crimes de violência doméstica (1.799) registados na área a cargo da PSP do Porto (concelhos de Gaia, Gondomar, Maia, Matosinhos, Porto, Póvoa de Varzim, Santo Tirso, Valongo e Vila do Conde) nos primeiros nove meses deste ano ultrapassou todo o ano de 2014 (1.740).

Segundo o GAIV da PSP/Porto, entre 01 de janeiro e 30 de setembro de 2015 foram registadas nos nove concelhos "1.799 vítimas de crimes de violência doméstica", um valor que já ultrapassou o total de crimes de violência doméstica em todo o ano de 2014 (1.740).

Em dois anos e meio de atividade, desde que foi criado, o GAIV registou um crescimento de vítimas de crimes de violência doméstica, de 1.097 em 2013, para 1.740 em 2014 e para 1.799 em 2015 (faltando ainda contabilizar o último trimestre do ano).

Apesar do aumento do número de crimes, desde o início do GAIV não se registou nenhum homicídio e uma fonte das relações públicas da PSP Porto considera: "Pensamos que o acompanhamento das vítimas de muito perto tem permitido estes resultados".

Segundo a Lusa, o GAIV dispõe de 18 polícias a trabalhar em exclusivo, 24 horas ao longo dos sete dias da semana, num gabinete que está vocacionado para um atendimento personalizado às vítimas de violência doméstica, bem como para o atendimento com deslocação ao local do crime.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Sociedade
(...)