You are here

Breves

Propinas no ensino superior português são das mais caras da Europa

O relatório anual Eurydice, da Comissão Europeia, compara propinas e apoios financeiros para os estudantes do ensino superior público de 28 países da União Europeia e conclui que Portugal está no grupo onde os estudantes mais pagam. Há treze sistemas de ensino, incluindo todos os países nórdicos e a Grécia, que não cobram propinas ou fazem-no abaixo dos 100 euros. A cobrança de propinas a todos os alunos faz-se apenas em Portugal e na Holanda, com outros países a fazê-lo em algumas partes do território ou a considerar esses custos como despesas administrativas pagas apenas uma vez ao longo de todo o curso. O relatório cobre também os diferentes sistemas de bolsas de estudo, empréstimos e outros apoios fiscais ou abonos específicos de cada país. No caso português, aponta 17% dos estudantes como beneficiários de bolsa por necessidade financeira.