You are here

Angola: Ativista Luaty Beirão em perigo de vida

O jovem ativista e músico, conhecido no meio artístico como Ikonoklasta ou Brigadeiro Mata Frakuzx, está em greve da fome há 18 dias. Diretor dos serviços prisionais de Angola diz que o preso político “não está a receber assistência médica porque não está doente”. Nesta quinta-feira, realizou-se uma vigília de solidariedade em Luanda (veja vídeo).
Vigília de Solidariedade com Luaty Beirão na Igreja da Sagrada Família em Luanda

Em greve da fome há 18 dias

O site Rede Angola refere que, segundo a família, Luaty Beirão terá perdido mais de 10 kg desde que iniciou a greve da fome, há 18 dias. O jovem ativista tem 33 anos, está preso desde 20 de junho, há mais de cem dias, e é acusado pelo regime de José Eduardo dos Santos, juntamente com outros 14 jovens, de “preparação de rebelião” e de “atentado contra o Presidente da República”.

Um grupo de dez pessoas tentou visitá-lo na cadeia, nesta quinta-feira, 8 de outubro, mas só a mãe pôde vê-lo.

O irmão de Luaty disse ao Rede Angola que o jovem músico e ativista corre risco de morte e está bastante debilitado. “A diferença de sábado para hoje é abismal. Ele desmaiou esta manhã e consegue ficar de pé por apenas alguns segundos”, afirmou Pedro Beirão, acrescentando: “A sua saliva é castanha e ele não consegue engolir absolutamente nada. É um estágio bastante avançado de greve de fome”.

Diretor dos serviços Prisionais de Angola: “Não está a receber assistência médica porque não está doente”

Luaty Beirão

Luaty Beirão

Desde terça-feira Luaty Beirão nem sequer consegue beber água, porque sente o estômago a arder.

O jornal Público contactou o diretor-geral dos Serviços Prisionais de Angola, António Fortunato, que disse que Luaty Beirão “não está a receber assistência médica porque não está doente”. “Preocupa-nos a situação, mas o estado de saúde não é grave. Só tem a debilidade resultante da falta de proteínas, por não estar alimentado”, acrescentou.

António Fortunato declarou ainda ao jornal: “A família continua a poder visitá-lo. O problema que se coloca é que ele mantém a sua posição, recusa-se a comer. Temos de convencê-lo a mudar de atitude e tomar uma medida de força. Obrigá-lo a comer ou levá-lo para um hospital”.

Na passada sexta-feira, 2 de outubro, Luaty Beirão chegou a ser transferido para o hospital-prisão de São Paulo, mas, segundo a família retornou à cadeia de Calomboloca sem ter realizado qualquer exame médico.

Vigília de Solidariedade

Ao final da tarde desta quinta-feira, 8 de outubro, realizou-se uma vigília de Solidariedade com Luaty Beirão. A vigília esteve inicialmente marcada para o Largo 1º de Maio, mas foi posteriormente transferida para a Igreja da Sagrada Família, em Luanda.

As pessoas que manifestaram a sua solidariedade com o ativista defenderam Liberdade aos presos políticos em Angola

 

 
Pátria Unida, Liberdade, / Um só povo, uma só Nação !

Vigília pelo Luaty Beirão a acontecer agora na Sagrada Família.Pátria Unida, Liberdade,Um só povo, uma só Nação !#liberdadeja #osilenciomata #queremosoluatyvivo

Posted by Liberdade aos Presos Políticos em Angola on Quinta-feira, 8 de Outubro de 2015

 

O Bloco Democrático de Angola, em comunicado, manifestou repúdio “para com o modo como as autoridades judiciais e políticas angolanas estão a conduzir o processo que tem como protagonistas um conjunto de jovens activistas cívicos presentemente detidos em diversas cadeias nos arredores de Luanda”.

Aquele partido salienta que Luaty Beirão “corre perigo de vida, com alguns dos seus órgãos vitais em processo de falência, uma degradação que pode desembocar na sua morte” e responsabiliza as autoridades do regime angolano pelo que possa acontecer.

O Bloco Democrático sublinha que “as democracias não se compadecem com a existência de presos políticos”, deplora a atitude das “actuais autoridades”, “conotando-a como uma verdadeira tentativa disfarçada de assassinato de pessoas tidas como incómodas para o Regime” e afirma que “vai continuar o seu combate pela Democracia e Liberdade”.

A Amnistia Internacional Portugal tem uma petição online, com o título “Greve de fome em protesto por detenção arbitrária” e onde apela: “Ajude-nos a pedir às autoridades angolanas a libertação dos ativistas e que a sua integridade física seja respeitada e o fim das práticas de prisões arbitrárias, perseguição e intimidação de ativistas de direitos humanos.”

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Repressão em Angola, Internacional
(...)