You are here

Listas independentistas alcançam maioria absoluta

Junts pel Sí obtém 62 deputados e CUP passa de três para dez. Ciutadans elegem 25 e alcançam segundo lugar. PSC fica-se pelos 16 mandatos mas mantém terceira posição. Coligação Catalunya Sí que es Pot sofre resultado decepcionante e obtém mesmo número de lugares que PP, que desce de 19 para 11.

As eleições catalãs ficaram marcadas por uma afluência recorde às urnas de 77%, mais 10 pontos percentuais do que no escrutínio de 2012.

O Junts pel Sí conquistou 62 deputados, e mais de dois milhões de votos, já a CUP mais do que triplicou o número de mandatos, obtendo dez lugares no Parlamento.

Ainda que não conquistando 50% dos votos – ficando-se por cerca de 48% -, as candidaturas independentistas alcançaram, desta forma, uma ampla maioria absoluta, com mais quatro votos do que os necessários.

Em segundo lugar surge o Ciutadans, que passou de 9 a 25 deputados.

Catalunya Sí que es Pot ficou muito longe das suas perspectivas eleitorais e o Unió desapareceu do Parlamento.

 O PSC registou o seu pior resultado de sempre, ficando-se pelos 16 deputados, menos quatro do que em 2012, mas conseguiu manter-se em terceiro lugar. O Partido Popular apenas obteve 11 deputados, o que representa uma queda de oito lugares face às últimas eleições. O porta-voz do partido, Pablo Casado, garantiu que o partido vai “continuar a defender a unidade da Espanha”.

Catalunya Sí que es Pot ficou muito longe das suas perspectivas eleitorais, obtendo o mesmo número de deputados do que o PP, e o Unió desapareceu do Parlamento, o que levou o seu líder, Josep Antoni Duran Lleida, a colocar o seu cargo à disposição.

Independentistas obtiveram “mandato democrático”

Reagindo aos resultados eleitorais, o cabeça-de-lista da coligação Junts pel Sí, Raul Romeva, afirmou que os independentistas obtiveram o “mandato democrático" que queriam para prosseguir com o projeto da independência.

"As pessoas têm o direito a ser ouvidas. Hoje falaram, ganhou o 'sim' e nós tivemos um mandato democrático. Ninguém nos pode dizer que não temos a legitimidade para fazer o que tínhamos previsto" e construir um novo Estado, destacou o político catalão.

De acordo com Raul Romeva, existiu uma "campanha hostil por parte do bloco do 'não' [à independência], cheia de mentiras", mas os cidadãos não se amedrontaram e votaram "conscientes de uma oportunidade histórica".

 Todos são "necessários" na nova etapa que se inicia

 Já o candidato da CUP, Antonio Baños, disse "adeus" ao Estado espanhol.

Na sua conta no Twitter, Baños escreveu: "Dedicado ao Estado espanhol. Sem rancores, adeus". A acampanhar a mensagem surge um vídeo de uma banda humorística, Los Ronaldos, em que o grupo canta a canção "Adiós Papá".

Mais tarde, o político catalão assegurou que hoje expira "o certificado de morte do autonomismo" e nasce a "República Catalã".

A CUP deixou ainda um aviso ao presidente Artur Mas, salientando que os resultados também evidenciam que "ninguém é imprescindível" e que todos são "necessários" na nova etapa que se inicia. 

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Internacional
Comentários (1)