You are here

Presidente demitido da Volkswagem com pensão e indemnização milionárias

28,6 milhões de euros de pensão, dois pagamentos de 16,6 milhões, calcula a agência Bloomberg. BMW nega ter feito fraudes, mas Seat admite que instalou os mesmos motores em causa da Volswagen nos seus modelos, o que significa que os carros com software fraudador também foram vendidos na Europa.
Presidente da Volkswagen demitiu-se mas jura que nada sabia. Foto de Dave Pinter
Presidente da Volkswagen demitiu-se mas jura que nada sabia. Foto de Dave Pinter

O CEO da Volkswagen, Martin Winterkorn, que renunciou ao cargo devido ao escândalo da falsificação dos dados de emissões poluidoras dos seus modelos a diesel, receberá uma pensão anual de 28,6 milhões de euros e ainda poderá ganhar mais dois anos de remunerações. Winterkorn

foi o segundo CEO mais bem pago da Alemanha no ano passado, recebendo 16,6 milhões de euros.

Há apenas uma condição em que esses valores adicionais não serão pagos: Martin Winterkorn não pode ser considerado responsável pelos supervisores do grupo. Foi por isso que o CEO, ao demitir-se, apressou-se a negar que tivesse conhecimento da existência da fraude, no que foi secundado pelo comité executivo do conselho de supervisão do grupo, que, em comunicado, afirmou que o presidente da Vokswagen não estava a par “da manipulação dos dados das emissões de gases”.

Winterkorn terá ainda direito a um carro da empresa.

BMW nega

Já nesta quinta-feira, a também BMW negou qualquer manipulação nos motores ou falsificação de resultados de testes antipoluição nos carros da marca. "Na BMW não falsificamos e, evidentemente, respeitamos as exigências legais em todos os países e fazemos todos os testes locais", disse o grupo BMW, de Munique, em comunicado.

As emissões dos modelos a diesel da BMW 'X3 xDrive' são 11 vezes superior ao máximo permitido nas normas da UE

A suspeita foi levantada pela revista especializada AutoBild, que apesar de não falar em falsificação, afirmou que as emissões poluentes de determinados modelos ultrapassam os limites de emissões de gases poluentes da União Europeia.

A revista cita informações do instituto de testes internacional ICCT (International Council on Clean Transportation) e afirma que as emissões dos modelos a diesel da BMW 'X3 xDrive' são 11 vezes superior ao máximo permitido nas normas da UE.

As ações da BMW reagiram com uma forte queda na bolsa de Frankfurt.

Seat também falsificou meio milhão de carros

A Seat, marca espanhola do grupo Volkswagen, instalou em mais de meio milhão de carros o software que falsifica as emissões de gases poluentes ao detetar que vai ser feito um teste, noticiou esta quinta-feira o El País.

Se isto for confirmado, o grupo Volkswagen também vendeu na Europa carros equipados com motores a gasóleo com o software malicioso. Os motores a gasóleo utilizados pela Seat são, em teoria, os mesmos utilizados pela Volkswagen e Audi nos Estados Unidos. Um porta-voz da Seat confirmou que alguns veículos a diesel foram equipados com o software falseado, mas não referiu quantas unidades.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Escândalo Volkswagen, Internacional
(...)