You are here

Custos com as PPP voltam a subir

Nos primeiros seis meses de 2015, as PPP (parcerias público-privadas) rodoviárias custaram aos contribuintes 620 milhões de euros, mais 30% que no mesmo período de 2014. O custo global das PPP, no primeiro semestre, foi de 840 milhões de euros.
Custos das PPP rodoviárias aumentaram 30% no primeiro semestre de 2015, em relação ao período homólogo de 2014

Segundo o “Jornal de Negócios” desta quarta-feira, 9 de setembro de 2015, os custos globais das PPP (840 milhões de euros) representam um agravamento de 21% em relação ao primeiro semestre de 2014. Os custos para os contribuintes com as PPP rodoviárias aumentaram 30%, em relação ao período homólogo de 2014, enquanto os custos com as PPP da segurança subiram 1%, as da saúde 2% e as ferroviárias desceram 1%.

Os custos com as PPP rodoviárias – 620 milhões de euros – representaram 74% dos custos globais com as PPP e tiveram um acréscimo de 30% em relação ao período homólogo de 2014. Os 620 milhões de euros representam 67% dos custos globais orçamentados para 2015: 923 milhões de euros.

O jornal, citando o boletim trimestral das PPP da Unidade Técnica de Acompanhamento de Projectos (UTAP), aponta que as concessões mais onerosas foram as de Beira Interior, Interior Norte e Norte e as subconcessões Douro Interior e Litoral Oeste, que representaram no conjunto custos de 352 milhões de euros, 57% dos custos totais das PPP rodoviárias.

Para 2016 prevê-se que o custo com as PPP rodoviárias aumentem para 1.125 milhões de euros

As subconcessões aprovadas entre 2007 e 2010, que começaram a ser pagas em 2014, custaram neste período 228 milhões de euros, enquanto as receitas de portagens foram apenas de 10 milhões de euros.

Em 2016 começarão a ser pagas mais duas subconcessões (Algarve Litoral e Baixo Alentejo) pelo que o custo previsto para os contribuintes com as PPP rodoviárias irão voltar a subir, prevendo-se que para 1.125 milhões de euros.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Sociedade
(...)