You are here

Barcelona quer voltar a dar o exemplo no acolhimento de refugiados

A autarca da capital catalã quer ver Barcelona integrada numa “rede de cidades refúgio” a nível estatal ou europeu. A Esquerda Republicana também propôs que Barcelona acolha refugiados, à semelhança do que fez durante a guerra na Bósnia.
Foto Stephen Ryan / IFRC /Flickr

O drama dos refugiados que chegam à Europa e são recebidos com arame farpado e gás lacrimogéneo, enquanto muitos ficam pelo caminho, sepultados no Mediterrâneo, deve servir para os europeus “abrirem os lhos”, diz Ada Colau na sua página de Facebook.

“Não há muros nem arame suficientes para parar isto. Nem gás lacrimogéneo ou balas de borracha. Ou abordamos um drama humano a partir da capacidade de amar que nos faz humanos, ou acabaremos todos desumanizados”, diz a autarca catalã, prometendo fazer “tudo o que pudermos para participar numa rede de cidades-refúgio. Queremos cidades comprometidas com os direitos humanos e com a vida, cidades de que nos possamos orgulhar”.

O presidente do grupo municipal da Esquerda Republicana Catalã também tinha defendido que a cidade “não pode ficar à margem desta tragédia”. Alfred Bosch afirmou que a sua bancada irá propor o acolhimento de refugiados sírios “ou de qualquer parte” em Barcelona, seguindo o exemplo do que a cidade fez durante a guerra na ex-Jugoslávia, quando “Sarajevo se tornou o distrito nº 11 de Barcelona”, referiu Bosch. Também através do Facebook, o autarca congratulou-se este domingo com o apoio de Ada Colau à iniciativa.

Termos relacionados Internacional
(...)