You are here

Estado paga milhões a serviços de call center privados

Organismos e serviços públicos gastaram mais de 10 milhões de euros na contratação de privados para atender telefones nos últimos cinco anos. Valor não inclui, por exemplo, contratos com empresas de segurança e vigilância. Santa Casa da Misericórdia é a entidade que mais gastou nestes serviços.

Tendo em conta os dados publicado no portal Base dos contratos públicos, o jornal i apurou que, nos últimos cinco anos, os organismos e serviços públicos gastaram mais de 10 milhões de euros na contratação de privados para atender telefones.

De acordo com o diário, este valor peca, contudo, por defeito, já que muitas entidades continuam a não publicar os contratos que assinam, além de que os contratos celebrados com as empresas de segurança e vigilância e os contratos de outsourcing relativos exclusivamente a apoio administrativo e de secretariado não são contabilizados.

Só este ano já foram publicados 13 contratos no valor de 1,5 milhões de euros (os valores dos contratos não incluem IVA). No ano passado, foram registados 27 contratos no montante global de 4,3 milhões, face aos 19 contratos no valor de 2,3 milhões apurados em 2013. Em 2012, os organismos e serviços públicos gastaram 771,7 mil euros na contratação de privados para atender telefones e em 2011 1,2 milhões.

Santa Casa da Misericórdia  (SCM) é a entidade que mais gasta neste tipo de serviços, com uma despesa de 3,9 milhões de euros desde 2010. Destes, 2,1 milhões foram gastos com quatro contratos desde 2012.

O contrato mais recente da SCM foi publicado no início de agosto no valor de 574,6 mil euros, mais IVA, e uma duração de apenas oito meses.

A CP ­– Caminhos de Ferro aparece em segundo lugar, com um único contrato de 1,1 milhões de euros.

O Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social (IGFSS), surge, por sua vez, em terceiro lugar. O IGFSS celebrou cinco contratos no valor total de um milhão de euros.

O contrato de valor mais elevado, 808,4 mil euros, foi assinado com a empresa Manpower Group Solutions, e é referente à aquisição de serviços de “atendimento telefónico e de gestão do canal de email” por um período de três anos.

O gabinete do primeiro-ministro também conta com três contratos assinados entre 2012 e 2013 com a empresa We Promote – Outsourcing e Serviços, Lda, e que ascendem a 48,1 mil euros.

A Manpower Group Solutions foi a empresa que mais dinheiro arrecadou com este tipo de contratos, com um total de 3 milhões de euros. Já a RHMAIS – Organização e Gestão de Recursos Humanos, aparece em segundo lugar, com  1,4 milhões. Ambas as empresas firmaram nove contratos com organismos e serviços públicos para prestar serviços de call center.

Termos relacionados Sociedade
(...)