You are here

Bloco preocupado com habitação social desocupada

Bloco visitou o Bairro de Santiago, em Aveiro e pôde constatar que o número de fogos de habitação social desocupados é bastante elevado. Bloquistas questionaram Câmara e IHRU.

A crise social dificultou o acesso à habitação a várias famílias. A política da CMA de manter vários fogos sociais desocupados constitui mais um ataque ao direito à habitação. Esta realidade é bastante penalizadora para as pessoas que necessitam de aceder à habitação social no momento de maior fragilidade nas suas vidas.

Os números são preocupantes, assim como a política de habitação social da autarquia PSD/CDS. A CM de Aveiro foi a primeira a implementar um novo regulamento que aumenta as rendas, culpa e castiga os pobres, iliba a autarquia de responsabilidades e que quer transformar os bairros sociais em bairros rotativos. Apenas o Bloco votou contra este regulamento dos despejos.

O Bloco de Esquerda enviou, através da Assembleia da República, requerimentos para a Câmara Municipal e para o IHRU questionando sobre o número e a taxa de fogos sociais desocupados, assim como o número de famílias que aguardam por vaga.

Recorde-se que por diversas vezes o Bloco de Esquerda questionou a Câmara Municipal em sede de Assembleia sobre esta matéria. No entanto, Ribau Esteves sempre se recusou a responder sobre o número e a taxa de fogos sociais desocupados.
 
O Bloco de Esquerda está igualmente preocupado com a política municipal de aumento desmesurado das rendas sociais no concelho.


Artigo publicado no site do Bloco de Esquerda de Aveiro.

Termos relacionados Política
(...)