António Gomes

António Gomes

Operário Ferroviário

É recorrente que os exames complementares de diagnóstico provenientes do SNS serem marcados para 4, 5 ou 6 meses após a requisição.

A economia vai precisar de apoio, é certo, o governo tem de decidir ajuda a sério em particular às micro e pequenas empresas.

O SNS trata de todos e todas, não deixa ninguém à porta.

O governo retirou à CP Comboios de Portugal a definição dos horários dos comboios de verão, não se sabe ao certo porquê, mas seja lá por que motivo for é um atestado de total incompetência.

O poder às vezes cega. É verdade, não nos iludamos. O momento que vivemos propicia decisões simpáticas, populistas e oportunistas. São decisões sempre contrárias à democracia, à responsabilidade e à justiça.

Não se pode continuar a empurrar com a barriga. Exige-se uma decisão rápida para o problema “fabrióleo”. A decisão tem de ser equilibrada e justa. Qual a decisão que respeita o equilíbrio e a justiça?

A privatização da EMEF parou, o secretário de Estado saiu derrotado, o governo teve de recuar, mas como o homem não é de desistir, já elaborou outro plano, agora com uma boa dose de vingança: 270 postos de trabalho têm de ser eliminados.