You are here

Presos políticos: Repressão em Luanda, solidariedade em Lisboa

A concentração pela libertação dos presos políticos angolanos foi reprimida em Luanda. Na baixa de Lisboa, centenas de pessoas solidarizaram-se com os jovens detidos desde junho em Angola.
Foto Fabian Figueiredo

Sob o lema "Chega de prisões arbitrárias e perseguições políticas em Angola”, o protesto em Luanda pretendia exigir a libertação dos ativistas detidos em junho, acusados de estarem a preparar um golpe de estado em Angola. Mas para além do forte dispositivo policial, o regime de José Eduardo dos Santos promoveu uma contra-manifestação em forma de ação de rua da juventude do MPLA durante todo o dia na Praça da Independência.

Logo pela manhã foi detido um jornalista da Rádio Despertar que fazia reportagem no local. Logo à chegada do primeiro bloco de manifestantes, alguns elementos da contramanifestação atacaram os manifestantes.

“A polícia viu essa violência e não fez nada”, disse Pedro Malembe à RFI. A polícia perseguiu os manifestantes pela praça e pelas ruas próximas, espancando vários jovens e detendo um número ainda indeterminado de pessoas.

Em Lisboa, centenas de pessoas responderam ao mesmo apelo pela libertação dos presos políticos angolanos. Ao fim da tarde, no Largo de São Domingos, ouviram-se apelos ao respeito pela liberdade de expressão e manifestação em Angola, e a exigência da libertação imediata dos jovens detidos desde junho.

Termos relacionados Repressão em Angola, Sociedade
(...)