You are here

Trabalhadores da logística do Continente vão fazer greve em 5 dias por aumentos salariais

Os trabalhadores da logística do Continente na Maia reivindicam aumentos dos salários, congelados há 5 anos, e farão duas horas de greve por turno a 28, 29, 30, 31 de julho e 1 de agosto.
Trabalhadores da logística do Continente farão duas horas de greve por turno a 28, 29, 30, 31 de julho e 1 de agosto

Segundo o sindicato dos trabalhadores do comércio, escritórios e serviços de Portugal (CESP), após a greve que realizaram em junho passado os trabalhadores da logística do Continente realizaram dois plenários muito participados onde decidiram, face à falta de resposta da empresas, manter a greve já convocada para os dias 28, 29, 30 e 31 de julho e 1 de agosto, de duas horas em cada turno.

Em junho passado, Jorge Pinto do CESP disse à Lusa (ler notícia no esquerda.net): “Se não houver resultados [com esta paralisação] vamos repetir a greve no final dos meses de julho e de agosto”. O dirigente sindical salientava que os funcionários da Logística “têm um trabalho altamente penoso e difícil e não têm uma atualização salarial há cinco anos”, e no final do mês recebem um montante “muito encostado ao salário mínimo nacional”.

Em conferência de imprensa realizada nesta sexta-feira, 24 de julho, Jorge Pinto declarou, segundo a Lusa: "Estamos preparados para fazer o necessário para que a Sonae venha às negociações". O dirigente sindical afirmou que os trabalhadores admitem "radicalizar ainda mais a luta", eventualmente alargando o período de greve para 15 dias, durante a última semana de agosto e a primeira de setembro, se a empresa não aceitar dialogar.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Sociedade
(...)