You are here

Protesto no Entroncamento contra a privatização da EMEF

Os trabalhadores das oficinas ferroviárias da EMEF saíram à rua para defender que a empresa se mantenha pública. Dia 21 há manifestação conjunta do setor dos transportes ameaçados de privatização ou concessão a privados.
Foto António Gomes.

Cerca de duas centenas de trabalhadores das oficinas do Entroncamento da Empresa de Manutenção de Equipamento Ferroviário (EMEF) manifestaram-se esta quarta-feira em protesto contra a privatização da empresa, dirigindo-se à Câmara Municipal para expor as suas razões.

O líder da CGTP esteve presente na manifestação e disse que a luta dos trabalhadores já atingiu o seu primeiro objetivo, ao impedir que o governo tenha concretizado a privatização até agora.

“Os mesmos que desviaram milhares de milhões de euros para tapar buracos em bancos privados não digam que o Estado não tem dinheiro para dotar a EMEF para a construção”, declarou Arménio Carlos à agência Lusa.

Mais protestos no setor dos transportes em maio

Esta sexta-feira está previsto novo protesto dos trabalhadores da EMEF, desta vez nas oficinas do Barreiro.

Na próxima quinta-feira, dia 21, realiza-se a manifestação "Público é de todos – Privado é só de alguns", que vai juntar trabalhadores da EMEF, CP, TAP, CP Carga, Metro de Lisboa, Transtejo, REFER, SPdH e comissões de utentes dos transportes públicos.

A manifestação de 21 de maio terá início às 10h30 no Largo Camões e dirigir-se-á para a Assembleia da República.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Sociedade
(...)