You are here

Grécia: “Contra as chantagens e as pressões”, Syriza propõe “a solidariedade e a democracia”

O Secretariado Político do partido liderado por Alexis Tsipras frisa que “as linhas vermelhas do governo são as linhas vermelhas do povo grego” e reforça a sua fidelidade “ao mandato popular de 25 de janeiro para abolir a política dos memorandos e da austeridade, defender os interesses do país, a soberania popular e a democracia”.

A direção do Syriza, que reuniu na terça-feira para reafirmar o apoio ao governo grego e exortar à luta comum de todas as forças progressistas na Europa contra a austeridade, assinala que, após o acordo de 20 de fevereiro no Eurogrupo, “os credores, apoiados por alguns media nacionais e internacionais, tentaram desfazer o difícil compromisso obtido” em Bruxelas, com o objetivo de “pôr em prática as medidas que levaram o governo Samaras a ser rejeitado pelos eleitores”.

O Secretariado Político do partido liderado por Alexis Tsipras frisa, num comunicado intitulado “Não à chantagem - o mandato do povo grego é inegociável”, que “as linhas vermelhas do governo são as linhas vermelhas do povo grego”.

“Elas são indispensáveis para sair da crise com justiça social e desenvolvimento”, avança, rejeitando o garrote a que estão a ser submetidos o governo e o povo gregos.

“O Syriza está ao lado do governo, tal como a maioria dos cidadãos independentemente da sua filiação política. Queremos que o povo participe nestas transformações, que continue a lutar e a defender os seus direitos. Queremos que as pessoas participem nas questões que lhes dizem respeito, pois são elas que vão determinar o futuro do país”, lê-se no documento.

A direção do Syriza lança “um apelo para a colaboração e a luta comum, dirigido a todas as forças progressistas, sociais e políticas da Europa, que se opõem à estratégia neoliberal e austeritária”.

“Contra as chantagens e as pressões, propomos a solidariedade e a democracia”, remata.

Artigos relacionados: 

AttachmentSize
PDF icon syriza_5.5.2015-1.pdf28.51 KB
Termos relacionados Internacional
(...)