You are here

BCE diz que é impossível garantir que não haverá outro banco a falir

Em resposta à eurodeputada Marisa Matias, Danièle Nouy do BCE afirmou que não pode prometer “que nunca mais haverá o colapso de um grupo bancário” e acrescentou: “Vamos fazer o nosso melhor para que a banca portuguesa tenha êxito”.
Presidente do conselho de supervisão do BCE disse que não podia prometer “que nunca mais haverá o colapso de um grupo bancário” - Danièle Nouy com Vítor Constâncio, foto de Fredrik Von Erichsen/Epa/Lusa

A eurodeputada Marisa Matias questionou o Banco Central Europeu (BCE) sobre o colapso do BES, perguntando como é possível confiar nos supervisores quando não perceberam atempadamente os problemas do BES, qual o ganho de ser agora o BCE a supervisionar diretamente os bancos e se o novo sistema de supervisão seria suficiente para prevenir o colapso do BES.

Danièle Nouy, responsável pelo mecanismo único de supervisão, respondeu nesta terça-feira na Comissão de Assuntos Económicos e Monetários do Parlamento Europeu, em Bruxelas.

"Não posso prometer que nunca mais haverá o colapso de um grupo bancário, não é possível, mas posso dizer que nunca estivemos tão bem equipados", afirmou Danièle Nouy.

Segundo a Lusa, a presidente do conselho de supervisão, reconheceu não ter muitos conhecimentos do que se passou no BES e no GES, mas manifestou fé, dizendo que acreditava que se o banco ainda tivesse participado nos testes de 'stress' do BCE no ano passado - o que não aconteceu porque já tinha sido imposta a resolução - teriam sido percebidas falhas de capital e este teria sido obrigado a colmatá-las de modo a tornar-se mais sólido.

"Reconheço que não estou a responder diretamente à questão que me fez. Vamos fazer o nosso melhor para que a banca portuguesa tenha êxito, necessitam de um sistema seguro e sólido em Portugal e faremos todos os possíveis para que isso aconteça", disse ainda Danièle Nouy.

Termos relacionados Política
(...)