You are here

Governo condena gerações mais novas a um "duplo abandono"

Durante a sessão de Encerramento da V Conferência de Jovens do Bloco de Esquerda, Catarina Martins defendeu que um país que quer crescer precisa de gente qualificada. Questionada pelos jornalistas no final da iniciativa sobre o "Manifesto para uma esquerda que responda por Portugal", divulgado este sábado pelo Expresso, a porta-voz do Bloco frisou que “todas as propostas são bem vindas”.
Foto de Paulete Matos.

Defendendo que “é preciso fazer tudo de novo, de uma outra forma”, a dirigente bloquista acusou o Governo PSD/CDS-PP de condenar as gerações mais novas “a um duplo abandono”.

Se, por um lado, inúmeros estudantes não chegam sequer a ingressar no ensino superior, por outro, muitos são obrigados a abandonar a faculdade por não terem condições para financiar os seus estudos. Paralelamente, e segundo lembrou a porta-voz do Bloco, para quem procura colocação no mercado de trabalho, muitas vezes, a única alternativa passa por sair do país.

“Um país que quer crescer precisa de gente qualificada”, defendeu Catarina Martins, sublinhando que é necessário criar condições para que os jovens possam estudar e tornar Portugal num país “onde se possa ficar”.

Fazendo alusão ao Programa Vem, apresentado pelo executivo de Pedro Passos Coelho, a dirigente bloquista salientou que o primeiro-ministro devia preocupar-se em implementar um “programa fica”.

Durante a sua intervenção, a porta voz do Bloco fez alusão às consequências dramáticas dos cortes nas bolsas, que afastam tantos jovens do sistema de ensino, propondo a alteração da sua fórmula de cálculo.

Por outro lado, Catarina Martins acusou o Governo de utilizar os mais jovens para baixar os salários a todos os trabalhadores, salientando que o Estado está a “financiar abuso”, direcionando verbas para estágios com duração reduzida que não dão acesso ao subsídio de desemprego e que servem para preencher postos de trabalho permanentes.

Segundo a porta-voz do Bloco, devem ser impostas mais condições às empresas e devem existir sanções que penalizem fortemente o abuso.

“Todas as propostas são bem vindas”

Questionada pelos jornalistas no final da iniciativa sobre o "Manifesto para uma esquerda que responda por Portugal", divulgado este sábado pelo Expresso, a porta-voz do Bloco frisou que “todas as propostas são bem vindas”.

“Na última Convenção do Bloco foi aprovado um documento que fala na necessidade de um pólo contra a chantagem da dívida e contra a austeridade. Todas as propostas são bem vindas. Irei ler o manifesto com toda a atenção”, avançou Catarina Martins.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Política
Comentários (1)