You are here

Memórias: Yuri Gagarin morreu há 47 anos

No dia 27 de março de 1968, morreu Yuri Gagarin num acidente aeronáutico perto da pista do centro de treino de astronautas, chamado “Cidade das Estrelas”, a nordeste de Moscovo. Gagarin foi o primeiro homem a viajar no espaço. Por António José André.

Yuri Gagarin foi um astronauta soviético e o primeiro homem a viajar no espaço a bordo da Vostok 1 (em russo, significa "Oriente"), que tinha 4,4 m de comprimento, 2,4 m de diâmetro e pesava 4.725 kg. Aquela nave tinha 2 módulos: o módulo de equipamentos (com instrumentos, antenas, tanques e combustível para os retrofoguetes) e a cápsula onde ficava o cosmonauta.

No dia 27 de março de 1968, Gagarin estava no assento da frente dum monoreator MIG 15. No assento de trás estava o coronel Vladimir Seregin, como piloto instrutor. Gagarin fazia uma requalificação para voltar a voar, após oito anos de dedicação a protocolos e a cerimónias duma vida de ídolo, de Herói da União Soviética.

O Mig desceu em parafuso, de uma altitude de 16 mil pés, através de uma camada de nuvens e colidiu contra o solo. Não constaram indícios de crise de comando entre o piloto instrutor e o requalificante. Os tripulantes estavam biomedicamente aptos. Tratando-se de uma operação militar, as autoridades soviéticas valeram-se da prerrogativa de manter em sigilo quaisquer outros aspetos envolvidos no acidente.

A primeira fatalidade foi que Seregin e Gagarim passaram a cerca de 200 metros de um outro jato, um Sukhoy SU 15, e podem ter sido afetados pela onda de choque supersónica desse avião. O facto é que mergulharam na camada de nuvens abaixo deles, provavelmente desestabilizados.

A segunda fatalidade foi um erro na informação que tinham sobre a altitude da base da camada de nuvens. A torre tinha dito 3.500 pés (mais de mil metros), espaço suficiente para retomar a atitude de voo sem riscos, principalmente tratando-se de um avião ágil e resistente como o MIG 15. Estando conscientes durante a descida, simplesmente aguardariam pelo fim da camada, para horizontalizar o avião. Mas, na verdade, a base da camada estava mais abaixo, a cerca de 500 metros de altitude. Isso complicou as coisas.

Igor Kusnetsov, ex-coronel da força aérea soviética, fez uma minuciosa pesquisa do acidente e chegou à conclusão de que uma conduta de ar do MIG tinha sido deixada aberta, depois do voo anterior. Ao perceberem o problema, Seregin e Gagarin optaram por mergulhar imediatamente à procura de menores altitudes. Durante o mergulho teriam perdido a consciência.

Remembering Yuri Gagarin

Termos relacionados Memórias, Sociedade
(...)