You are here

Dois detidos no bairro de Santa Filomena, Amadora

Um deles é o deputado municipal João Camargo, do Bloco de Esquerda, que apenas exercia as suas funções de fiscalizar a atuação da polícia, em mais um dia de demolições. Polícia de choque impede acesso ao bairro.
PSP deteve um deputado municipal no exercício das suas funções, Foto de Irina Pampim
PSP deteve um deputado municipal no exercício das suas funções, Foto de Irina Pampim

A PSP prendeu na manhã desta quinta-feira o deputado municipal João Camargo e um jovem ativista no bairro de Santa Filomena, no concelho da Amadora, em mais um dia de demolições no bairro. Camargo estava identificado com o cartão de deputado municipal e exercia as suas funções de fiscalização, interpelando a PSP sobre a sua atuação, recordando que o Provedor de Justiça se pronunciou contra as demolições e questionando se a PSP obedecia à Câmara Municipal da Amadora ou à Nação.

Intervenção policial

Ativistas e moradores tinham levantado durante a noite uma barricada em torno do bulldozer usado nas demolições, com o objetivo de impedir o acesso à viatura que o abastece de combustível. Além da barricada, um cordão de ativistas tentou impedir a deslocação da máquina quando o seu motor foi ligado.

A polícia deteve então o deputado municipal, algemando-o e retirando-o do local. Se nessa prisão não foi usada violência, o mesmo não se pode dizer do que se passou em seguida, com encontrões, empurrões e a prisão violenta de um jovem ativista. Libertada a máquina, passou a trabalhar, por enquanto ainda a recolher entulho. No local podia-se verificar a presença de polícias municipais à paisana, e de seguida chegou a Polícia de Choque que passou a impedir o acesso ao bairro.

Provedor de Justiça recomendou suspensão

Provedor de Justiça pediu à Câmara a suspensão das demolições. Foto dos PI

Recorde-se que o Provedor de Justiça recomendou a suspensão das demolições, começadas em pleno inverno. Disse o Provedor que “revestir-se-ia de toda a utilidade que nos elucidasse acerca das razões de interesse público que possam justificar que, no atual contexto económico, em que todos os programas de apoio social se encontram suspensos, se opte pela erradicação de todo o bairro em detrimento da sua reconversão”.

A deputada Helena Pinto voltou ao local na manhã desta quinta-feira. A deputada do Bloco de Esquerda acusa a Câmara da Amadora de não ter tomado as medidas necessárias para realojar as pessoas que viram as suas casas demolidas.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Sociedade
Comentários (1)