You are here

Espanha: PP manteve contabilidade paralela durante 18 anos

Foi dado como provado em tribunal que o Partido Popular de Mariano Rajoy manteve uma contabilidade paralela ao longo de 18 anos. Juiz da Audiência Nacional espanhola propôs que três ex-responsáveis do partido sejam levados a tribunal por delitos fiscais.
Passos Coelho e Mariano Rajoy partilham a mesma filiação partidária europeia, o PPE.

Os responsáveis do PP acusados são os ex-tesoureiros Luis Bárcenas, Alvaro Lapuerta e Cristóbal Páez, indica um auto da Audiência Nacional ao qual a Lusa teve acesso.

O juiz da Audiência Nacional - um tribunal especial espanhol com jurisdição em todo o país e especializado em crimes graves como corrupção, crime económico e terrorismo - deu como provado que o PP pagou 1,55 milhões de euros a uma empresa - a UNIFICA - através de uma "caixa b" pelas obras realizadas na sede do PP em Madrid.

O PP, presidido pelo atual chefe do Governo espanhol, Mariano Rajoy, tem alegado desconhecimento da contabilidade paralela, afirmando que os responsáveis agora acusados ocultaram essa prática dos restantes dirigentes.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Internacional
(...)