You are here

AM de Viseu aprova moção do Bloco por um IP3 requalificado e sem portagens

No documento aprovado por unanimidade na Assembleia Municipal de Viseu, os bloquistas alertam que “o plano publicitado pela Estradas de Portugal no sentido de portajar os troços do IP3 à medida que sejam requalificados” equivaleria a “deixar Viseu como uma ilha rodeada de portagens por todos os lados".

“O traçado do IP3 que integra a rede rodoviária sob jurisdição da Estradas de Portugal tem uma extensão de 72 quilómetros, faz a ligação entre Coimbra e Viseu e diariamente é atravessado por mais de 13 mil veículos sendo que cerca de 15% do tráfego é de viaturas pesadas”, lembra o deputado municipal do Bloco Carlos Vieira e Castro, sublinhando que está em causa “um traçado muito perigoso”, que já causou “inúmeras vítimas em acidentes de trânsito”.

As intervenções por parte da Estradas de Portugal no IP3, que implicam “diversas limitações no tráfego e incómodos nas populações”, não são, segundo o dirigente bloquista, “suficientes para conferirem níveis aceitáveis de segurança, comodidade e funcionalidade a esta importante via que une os territórios dos sete municípios em que se insere".

Expressando a sua discordância face ao “plano publicitado pela Estradas de Portugal, EP, no sentido de portajar os troços do IP3 à medida que sejam requalificados”, que “equivaleria a deixar Viseu como uma ilha rodeada de portagens por todos os lados”, os bloquistas exigem a “requalificação urgente deste Itinerário Principal no sentido de o dotar das condições de segurança, comodidade e funcionalidade, sem portagens, independentemente de qualquer projecto, para um futuro mais ou menos próximo, de construção e concessão, pelo Estado ou por privados, de uma auto-estrada para sul”.

Termos relacionados Política
(...)