You are here

TV pública vai regressar à Grécia

O governo grego vai readmitir os mais de 2000 trabalhadores despedidos da ERT que desejem regressar ao novo canal público de televisão. A proposta de lei que cumpre mais uma promessa eleitoral dará entrada na quinta-feira.
O novo governo cumpre a promessa e vai reabrir a ERT com os trabalhadores afastados. Foto gdiakoum/Flickr

No verão de 2013, o governo grego decidiu encerrar o canal público de televisão, lançado para o desemprego 2600 trabalhadores. Mas a resistência de jornalistas e técnicos, que continuaram a ocupar as instalações da empresa e a fazer a emissão levou ao corte do sinal. Meses depois, a polícia desocupou à força os trabalhadores que se mantinham no edifício da Rádio e Televisão Pública (ERT).

O encerramento da ERT provocou a maior crise política do governo da troika, que foi obrigado a uma remodelação após a saída do partido Dimar por causa desta medida. E a defesa do serviço público de televisão foi uma das bandeiras do Syriza durante a oposição e uma luta simbólica da resistência grega às políticas da troika. O governo de Samarás abriu um novo canal - NERIT - que nunca conseguiu a confiança dos cidadãos, discriminando com frequência a oposição.

Segundo fontes governamentais, na próxima quinta-feira será apresentado uma proposta de lei para o regresso da ERT, resolvendo “as ações judiciais pendentes, respeitando a longa luta dos trabalhadores afastados e, ao mesmo tempo, sem nenhum sentimento de vingança em relação aos que estão legalmente ao serviço da emissora atual”.

O governo explica ainda que a reabertura da ERT nunca fez parte das negociações com o Eurogrupo, dado que “não traz custos adicionais ao Orçamento de Estado”.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Internacional
(...)