You are here

Pais, alunos e professores fecham Escola de Música do Conservatório Nacional a cadeado

Esta quarta-feira, dezenas de pessoas concentraram-se em frente à entrada deste estabelecimento de ensino. Para quinta-feira está agendado um novo protesto contra a falta de condições do edifício da EMCN, que deixou mais de meio milhar de alunos sem aulas.
Foto da página de facebook de Eu sou Conservatório Nacional.

Ao som de palavras de ordem como "Alunos unidos, jamais serão vencidos! A Escola Unida, jamais será vencida!" e "Queremos aulas, não temos salas!", a comunidade escolar declarou-se “de luto”, face à “crescente degradação do edifício do Conservatório Nacional”, que já levou ao encerramento de 10 salas de aulas.

Numa carta enviada esta quarta-feira ao Ministério da Educação, a Comissão Conjunta de Pais/Encarregados de Educação, Associação de Estudantes, Professores, Direção e Conselho Geral da EMCN, solicita uma reunião urgente com o ministro Nuno Crato.

Os subscritores do documento lembram que “na sequência do encerramento de 10 salas, pela sua manifesta insegurança e insalubridade”, a Escola de Música do Conservatório Nacional “está neste momento impossibilitada de exercer a sua função principal, uma vez que estão a ficar por lecionar, por semana, centenas de horas de disciplinas vocacionais e académicas, da Iniciação ao Secundário, afetando alunos com exames de passagem de ano, exames de passagem de ciclo, exames nacionais e exames de acesso ao ensino superior”.

“A crescente degradação do edifício do Conservatório Nacional, o qual apresenta múltiplas patologias construtivas, já não é compatível com intervenções paliativas como as que estão a ser sugeridas pela Tutela”, reforçam.

Para quinta-feira, dia 26 de fevereiro está agendado “Um abraço ao Conservatório Nacional”, que terá início pelas 12h.

Os promotores da iniciativa convidam “todos os nossos alunos e antigos alunos, professores e antigos professores, pais e familiares, funcionários e amigos, admiradores e cidadãos em geral para virem dar um abraço literal e metafórico ao Conservatório Nacional”.

Segundo esclarecem, com este protesto pretendem enviar a Nuno Crato “a mensagem inequívoca de que não permitiremos que os nossos alunos continuem a não poder ter aulas, de que não consentiremos que se continue a enganar a opinião pública sobre todo este problema, de que não deixaremos cair o Conservatório Nacional”.

Na terça-feira, a maioria de direita chumbou uma proposta do Bloco de Esquerda no sentido de confrontar o ministro da Educação com a situação de centenas de alunos da Escola de Música do Conservatório Nacional, impedidos de assistir a aulas por causa do colapso do edifício.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Sociedade
(...)