You are here

Bloco acusa Governo de ser cúmplice da venda da PT a um fundo abutre

A deputada bloquista Mariana Mortágua denunciou que “o Estado foi conivente com a entrega de uma das mais importantes empresas portuguesas ao capital estrangeiro” e exigiu: “Nós queremos uma justificação. Porque é que o Estado português escolheu não agir, escolheu olhar para o lado”.
Mariana Mortágua acusou: “Ao não querer agir e proteger o país, ao não liderar uma alternativa à venda da PT Portugal, o Estado é cúmplice da entrega da empresa que tem o monopólio das infraestruturas de comunicações"

“Ao não querer agir e proteger o país, ao não liderar uma alternativa à venda da PT Portugal, o Estado é cúmplice da entrega da empresa que tem o monopólio das infraestruturas de comunicações, uma empresa que tem centros de investigação, que emprega milhares de trabalhadores a um fundo abutre”, acusou a deputada do Bloco de Esquerda Mariana Mortágua à comunicação social, sobre a decisão da assembleia-geral da PT.

“O Estado foi conivente com a entrega de uma das mais importantes empresas portuguesas ao capital estrangeiro, que tem como único objetivo retirar lucro e dividendos da PT Portugal, tal como já fizeram com a PT SGPS no passado, com um futuro incerto para os trabalhadores, um futuro incerto para a economia nacional”, realçou também a deputada, que exigiu: “Nós queremos uma justificação. Porque é que o Estado português escolheu não agir, escolheu olhar para o lado”.

Mariana Mortágua salientou também que “apenas 46% dos acionistas votaram, o que dá mais poder de voto àqueles que estavam presentes na assembleia-geral”, sendo que só 2% votaram contra, os pequenos acionistas.

“Isto coloca o Novo Banco e o fundo da Segurança Social, ou seja, isto coloca o Estado, do lado dos grandes acionistas que queriam vender a PT Portugal à Altice”, afirmou a deputada bloquista que qualificou a aprovação da venda como "uma notícia chocante" que merece a “indignação” do Bloco.

"A fusão entre a Oi e a PT ainda não foi concluída, ainda há quem ponha em causa a fusão entre a PT SGPS e a Oi. Nós já estamos a vender a joia da coroa, o ativo mais importante da PTSGPS e ainda não foi decidida a fusão. Se um dia for revertida, a PT já não volta, a PT foi vendida a um fundo abutre, chamado Altice", sublinhou ainda Mariana Mortágua, frisando que “temos que tirar conclusões políticas sobre esta decisão do Estado”.

Termos relacionados Política
(...)