You are here

Albuquerque: o marciano e o clone!

Albuquerque vai continuar a jurar que não tem nada a ver com o que o seu partido fez na Madeira, apesar dele (ou teria sido o seu clone?!) ter sido vice-presidente de Jardim na direção do PSD, deputado indicado por Jardim, Presidente da Câmara do Funchal, sempre com o apoio de Jardim.

Chegou de Marte, no passado dia 29 de dezembro, o novo líder do PSD Madeira, de seu nome Albuquerque. Jura, a pés-juntos, que nunca tinha estado na Madeira. Nem sequer conhece o seu antecessor na liderança dos sociais-democratas. Mostrou-se muito admirado de o partido que agora preside ter, ao longo de décadas, perseguido a oposição, enriquecido os amigalhaços, asfixiado financeiramente as (poucas) Câmaras que as oposições ganharam no passado. Jura que, quem esteve na Câmara do Funchal desde 1994, e multiplicou por 5 a dívida da maior autarquia da Madeira, não foi ele mas um clone seu, por sinal muito parecido consigo! Jura que não conhece Passos Coelho de parte nenhuma e que nunca foi seu mandatário na Madeira. Foi o tal clone seu, por sinal muito parecido consigo, que apoiou desde a primeira hora o primeiro-ministro que está a desgraçar o país! Até jura que não estará no Congresso do PSD Madeira, no próximo fim-de-semana, ao lado de Passos Coelho. Será o tal clone, por sinal muito parecido consigo, a receber o primeiro-ministro! Quer ganhar as eleições regionais na Madeira para ir para o Governo Regional. Se ganhar, e após tomar posse, voltará para Marte e deixará o seu clone, por sinal muito parecido consigo, a governar a Madeira de braço dado com Passos Coelho, aplicando na Região a mesma receita que o primeiro-ministro está a aplicar ao país. Caro(a) amigo(a) leitor(a): Albuquerque vai continuar a jurar que não tem nada a ver com o que o seu partido fez na Madeira, apesar dele (ou teria sido o seu clone?!) ter sido vice-presidente de Jardim na direção do PSD, ter sido deputado indicado por Jardim, ter sido Presidente da Câmara do Funchal, sempre com o apoio de Jardim. Vai continuar a jurar não ter nada a ver com a política de Passos Coelho, apesar de ser o seu “feitor” na Madeira. Quando for chamado(a) a votar deve pensar se quer que, na Madeira, continuem a ser aplicadas as políticas que Passos Coelho tem aplicado no país! Por via das dúvidas, quando for votar, o melhor será não acreditar na história dos clones!

Post-Scriptum: No dia 24 de novembro de 2010, o PSD rejeitou na Assembleia Legislativa da Madeira uma proposta do Bloco de Esquerda que propunha a alteração da Lei Orgânica do Parlamento, cortando no denominado “jackpot”, e noutras ‘alcavalas’ existentes. Esse projecto, rejeitado pelo grupo parlamentar do PSD – onde estavam muitos dos deputados que ainda hoje lá estão! - disseram claramente, com esse chumbo, que rejeitavam a redução da despesa parlamentar na ordem dos 3 milhões de euros. Ontem, por ordem do novo chefe, o tal clone de Albuquerque, – já em campanha eleitoral, e para caçar o voto! –, o mesmo PSD e os mesmos deputados aprovaram um corte semelhante! Ainda bem que mudaram de ideias. Afinal o Bloco tinha razão, já em 2010, quando defendia um corte no jackpot e tinha razão quando em 2011 colocou no seu Programa Eleitoral essa proposta, apesar de rejeitada pelo eleitorado!

Artigo publicado em Diário de Notícias do Funchal a 8 de janeiro de 2015

Sobre o/a autor(a)

Deputado na Assembleia Regional da Madeira
(...)