You are here

Grécia: Parlamento volta a chumbar candidato à presidência

O candidato proposto pelo Governo de Samaras obteve apenas 168 dos 200 votos necessários. Na próxima semana realiza-se a última votação, com a fasquia a baixar para 180 votos.
Parlamento grego voltou a chumbar nome do candidato presidencial do Governo

O candidato Stavros Dimas, dirigente da Nova Democracia e apoiado também pelo Pasok, foi chumbado pela segunda vez pelos deputados gregos. Em relação à votação da semana passada, Dimas somou mais oito votos, mas ainda lhe faltam doze para obter a eleição na próxima semana e assim evitar eleições legislativas antecipadas no início de 2015. Na terceira ronda de votações, a 29 de dezembro, a fasquia de votos necessários para a eleição vai baixar para 180.

Para além do apoio de cinco deputados independentes que já haviam votado em Dimas na primeira volta, o candidato do Governo conseguiu o voto de mais oito deputados. Entre eles estiveram dois ex-membros do partido neonazi Aurora Dourada, que à semelhança do restante grupo parlamentar foram trazidos da prisão para votarem no parlamento.

Para conseguir evitar eleições antecipadas no próximo mês, o primeiro-ministro prometeu na televisão alargar o Governo e marcar eleições para o fim de 2015. Os observadores políticos dizem que os grupos parlamentares dos Gregos Independentes e do Dimar (Esquerda Democrática) são agora os alvos de Samaras para mudarem de campo na próxima votação.

Imediatamente após a votação, o líder o Syriza reagiu com satisfação ao resultado e reclamou eleições antecipadas. "O nosso país vai virar a página com democracia e um forte mandato popular. Feliz Natal a todos!", afirmou Tsipras aos jornalistas.

Para já, dois deputados do Dimar anunciaram a saída do grupo parlamentar minutos antes desta votação, embora tenham mantido o mesmo voto da semana passada. Os rumores sobre o iminente colapso deste partido que fez parte da aliança de governo da troika aumentaram nos últimos dias.

Por seu lado, o ex-primeiro ministro do Pasok George Papandreou anunciou que irá formar um novo partido na próxima semana, independentemente do resultado da eleição. Papandreou procura assim escapar ao previsível desaparecimento dos socialistas do panorama eleitoral grego, com o Pasok a obter nas sondagens valores em torno dos 5%.

Alexis Tsipras: "Nem o Parlamento nem o povo darão mais um cheque em branco ao memorando"

Imediatamente após a votação, o líder o Syriza reagiu com satisfação ao resultado e reclamou eleições antecipadas. "O nosso país vai virar a página com democracia e um forte mandato popular. Feliz Natal a todos!", afirmou Tsipras aos jornalistas.

Noutro comentário citado pelo jornal Avgi, fontes do Syriza afirmaram que "ficou claro que um grande número de deputados não deu um cheque em branco ao governo para implementar as medidas do memorando. Tudo indica que a terceira votação não alcançará os 180 votos. A candidatura de Dimas juntou 168 votos, e dois deles são de Hitler. As eleições são o único caminho".

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Internacional
(...)