You are here

Coimbra: A Escola da Noite estreia peça sobre ditadura romena dos anos 50/60, nesta quinta-feira

A Escola da Noite apresenta em estreia mundial a peça “Da sensação de elasticidade quando se marcha sobre cadáveres”, de Matéi Visniec. O espetáculo estará em cena de 18 a 21 de dezembro no Teatro da Cerca de São Bernardo, em Coimbra.

A peça que A Escola da Noite leva à cena, pela primeira vez a nível mundial, parte da realidade concreta da Roménia durante o regime de Ceausescu e, segundo a companhia, denuncia, com humor, o absurdo e a violência dos regimes totalitários sobre a consciência dos indivíduos.

Na peça de Matéi Visniec, Sérgiu Penegaru é um escritor que se recusa a escrever poemas patrióticos e admira o surrealismo, o que, na Roménia de Ceausescu no final dos anos 50, é suficiente para as suas obras serem proibidas e ele ser preso.

Penegaru e os seus companheiros de cela divertem-se a representar a peça “A cantora careca”, de Eugène Ionesco, uma forma também de resistência e do horror da realidade em que vivem.

A Escola da Noite salienta: “Não se trata apenas de sobreviverem fisicamente, ainda que isso estivesse também em causa. Trata-se, como sempre acontece contra regimes totalitários e opressivos, de salvaguardar a liberdade de pensamento individual, de resistir à mais perigosa das manipulações, aquela que é operada dentro das próprias cabeças dos seres humanos. Neste sentido, tanto as anedotas políticas que Penegaru tem sempre para contar, como a poesia que não consegue parar de escrever, como o teatro que leva para dentro da prisão são mais do que escapes ou do que fugas à realidade. São formas ativas de resistência e de luta pela liberdade e, portanto, pela dignidade humana”.

O autor da peça, Matéi Visniec, nasceu na Roménia em 1956 e cresceu sob o regime de Nicolae Ceausescu. Estudou Filosofia em Bucareste e fez parte do movimento cultural que, na década de 1980, baralhou a paisagem poética e literária da Roménia. Com a sua obra proibida pelo Governo, abandonou a Roménia em 1987 e pediu asilo político em França, onde trabalha até hoje como jornalista e começou a escrever teatro em francês.

No texto, que escreveu para esta estreia da peça “Da sensação de elasticidade quando se marcha sobre cadáveres”, Visniec refere que pensa que ela “permanece atual”, “porque outros totalitarismos nos ameaçam hoje em dia”.

“Na época do comunismo de estado, na União Soviética e nos países da Europa de Leste, pretendia-se “construir” o homem novo, dócil e submisso ao poder político. Hoje, a sociedade de hiperconsumo que estamos em vias de aceitar transforma o cidadão num consumidor dócil, submisso ao poder comercial e mediático”, sublinha o autor.

Matéi Visniec agradece ao encenador e aos atores, que “aqui, em Coimbra, tiveram a audácia de optar por este texto que eu escrevi em Paris sobre as ruínas das minhas angústias romenas…”

O espetáculo que A Escola da Noite estreia a nível mundial no Teatro da Cerca de São Bernardo em Coimbra, estará em cena de 18 a 21 de Dezembro - às 21h30 de quinta a sábado e às 16h no domingo.

Termos relacionados Cultura
(...)