You are here

Mariana Mortágua

Deputada. Dirigente do Bloco de Esquerda. Economista.

Artigos do Autor(a)

2020/10/07 - 11:34pm

O mesmo sentido de responsabilidade [de 2015] leva-nos agora a propor medidas que são essenciais para uma resposta determinada à crise: proteger o emprego e os salários, cuidar do SNS, apoiar os rendimentos e impedir novas perdas públicas com o Novo Banco.

2020/10/01 - 10:00am

Em março, o Bloco lançou o despedimentos.pt, um site para a denúncia de despedimentos e abusos laborais. Até hoje, recebemos 1382 denúncias, correspondentes ao universo de 145 mil trabalhadores, de todos os distritos do país e quase todos os setores de atividade.

2020/09/23 - 9:15pm

Mais de 20% dos trabalhadores em Portugal recebem o salário mínimo nacional. São pessoas que desempenham profissões essenciais ao funcionamento da economia e da sociedade.

2020/09/17 - 1:13pm

Fazer política é escolher que interesses se defende. André Ventura diz representar "o português comum", mas na verdade quer proteger os interesses dos ricos que querem pagar menos impostos.

2020/09/10 - 10:16am

A auditoria não acusa, mas também não iliba, limitando-se (salvo num caso de conflito de interesses relatado) a descrever os eventos tal e qual o Novo Banco faria.

2020/09/03 - 10:32pm

Falta fazer quase tudo, mas isso não é desculpa quando se sabe o que tem de ser feito para evitar que o início do ano escolar seja um caos.

2020/08/29 - 9:18am

Fácil – e talvez tentador – seria pôr em causa o salário e os rendimentos sem perguntar porque é que a crise não bate às portas do dono privado do Novo Banco.

2020/08/20 - 11:35am

Uma taxa de retenção aplicável aos dividendos, juros, e outros rendimentos que saiam do nosso país para regimes como a Holanda. Aqui está a nossa proposta Hotel Califórnia.

2020/08/12 - 3:04pm

A crise de 2008 expôs ao Mundo o falhanço do modelo económico neoliberal, seja na sua versão mais radical (nos EUA) ou mais "social" (na Europa). Doze anos depois, nada mudou a esse respeito.

2020/08/05 - 10:38am

Nos últimos 21 anos, o Bloco de Esquerda desenvolveu aquilo a que Ricardo Salgado chamou uma "obsessão patológica" pelos negócios dos "donos de Portugal". É essa intransigência na defesa do que é público que hoje dirigimos ao Novo Banco.

Pages