You are here

Luta contra linha de muito alta tensão junta novamente Galiza e Norte de Portugal

A manifestação convocada pela Associação de Afetados pela linha de muito alta tensão Fontefría-Portugal, que teve lugar em Santiago de Compostela, sede do Parlamento Galego, juntou população e autarcas de ambos os lados da fronteira.

Aproximadamente 300 pessoas percorreram as ruas do centro de Compostela até à Praça do Obradoiro, sede da presidência do governo Galego.

Empunhando dezenas de bandeiras e cruzes e gritando palavras de ordem como “Não à Alta Tensão” e “Queremos viver na nossa terra”, os manifestantes exigiram a redefinição do traçado da linha de muito alta tensão em Portugal e na Galiza, e mesmo que parte deste seja enterrado.

A porta-voz da Associação de Afetados denunciou que o atual traçado passa por cima de dezenas de casas de diversas localidades da Galiza e Norte de Portugal. “Ninguém quer que um cabo de 4000 KW passe por cima de ninguém. É como ter um micro-ondas sempre ligado por cima das nossas casas”, avançou.

A manifestação contou com o apoio de deputados e dirigentes do Bloque Nacionalista Galego (BNG) e do Bloco de Esquerda.

A linha de muito alta tensão passará por 121 freguesias do Norte de Portugal.

Termos relacionados Internacional
(...)