You are here

Sócrates: detidos também um empresário, um advogado e um motorista

Nota da PGR informa quem são os outros detidos além do ex-primeiro-ministro socialista e esclarece que o inquérito "teve origem numa comunicação bancária efetuada ao Departamento Central de Investigação e Ação Penal em cumprimento da lei de prevenção e repressão de branqueamento de capitais".
José Sócrates: primeira vez na história da democracia portuguesa que um antigo primeiro-ministro é detido para interrogatório. Foto de Ordem TOC
José Sócrates: primeira vez na história da democracia portuguesa que um antigo primeiro-ministro é detido para interrogatório. Foto de Ordem TOC

Além do ex-primeiro-ministro José Sócrates foram também detidos o empresário Carlos Santos Silva, amigo de longa data de Sócrates, o advogado Gonçalo Trindade Ferreira e o próprio motorista João Perna.

Numa nota divulgada ao início da tarde, a Procuradoria-Geral da República adianta que foram estas as detenções no âmbito de um inquérito no qual se investigam “suspeitas dos crimes de fraude fiscal, branqueamento de capitais e corrupção”.

Os interrogatórios, segundo a Procuradoria, estão a decorrer no Tribunal Central de Instrução Criminal e "tiveram início ontem [sexta-feira] e foram retomados já este sábado".

Segundo a mesma nota, o inquérito "teve origem numa comunicação bancária efetuada ao Departamento Central de Investigação e Ação Penal em cumprimento da lei de prevenção e repressão de branqueamento de capitais".

Diligências na residência de Sócrates

Segundo o Correio da Manhã, José Sócrates terá acompanhado diligências de magistrados do Ministério Público à sua residência da Rua Castilho, em Lisboa.

Carlos Santos Silva, empresário da Covilhã, foi administrador do Grupo Lena; o advogado Gonçalo Ferreira foi procurador de Maria Adelaide, mãe do ex-primeiro-ministro.

Esta é a primeira vez na história da democracia portuguesa que um antigo primeiro-ministro é detido para interrogatório.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Política
(...)