You are here

Iglesias: “Quando o Podemos governar, o JP Morgan não vai ditar a nossa política”

Sobre as declarações da Secretária Geral do PP, María Dolores de Cospedal, que afirmou que o Podemos é "uma ameaça para a democracia", Pablo Iglesias frisou que "perigosos para a democracia são aqueles que estão a nadar na corrupção”.

"Se o JP Morgan quer ditar as políticas económicas, talvez o possa fazer com o Partido Popular ou o Partido Socialista, mas quando governar o Podemos, o JP Morgan não vai pegar no telefone para nos dizer o que temos de fazer. Os bancos de investimento que compram e especulam com a dívida espanhola não nos vão dizer que política económica temos de seguir. Se quiser, o JP Morgan pode apresentar-se às eleições, mas não ditar a política. Os governos são eleitos pelas pessoas; os bancos de investimento, não", afirmou o dirigente do Podemos numa entrevista ao “Las Mañanas de Cuatro".

Durante a entrevista, Pablo Iglesias defendeu ainda a transparência das contas dos partidos políticos, frisando que o Podemos “tem bolsos transparentes” e que “qualquer cidadão pode aceder às suas contas”.

“Há uma tendência que torna possível uma mudança política no nosso país”

Questionado sobre as últimas sondagens, que dão conta da ascensão do Podemos, Iglesias frisou que o partido “vai sair a ganhar” mas não pode “pecar por triunfalismo”.

“Sempre encaramos as sondagens com uma enorme prudência, mas é verdade que todas coincidem em que há uma tendência que torna possível uma mudança política no nosso país. Vamos continuar a trabalhar arduamente para que essa mudança aconteça”, avançou.

Pablo Iglesias sublinhou ainda que o Podemos “estende a sua mão” a “todos aqueles que se queiram somar à mudança e à dignidade na Europa”. “Oxalá os dirigentes socialistas demonstrem que estão do lado da democracia e contra os paraísos fiscais”, destacou.

Perigosos para a democracia são aqueles que estão a nadar na corrupção

Respondendo às críticas da Secretária Geral do PP, María Dolores de Cospedal, que afirmou que o Podemos é "uma ameaça para a democracia", Iglesias referiu que "perigosos para a democracia são aqueles que estão a nadar na corrupção, os que têm uma boa parte dos seus ex ministros imputados, os que destroem o sistema de saúde e sanitário”.

Sobre a questão da Catalunha, o dirigente do Podemos defendeu que o governo espanhol, ao contrário do que tem feito, deveria “escutar os cidadãos catalães e o conjunto dos cidadãos espanhóis” e que “os problemas não se resolvem escondendo a cabeça”, resolvem-se com uma postura mais democrática.

Termos relacionados Internacional
(...)