You are here

“Contribuição simbólica” de Portugal para a reconstrução de Gaza é mesmo simbólica

Os 25 mil euros prometidos este domingo no Cairo pelo Governo português para a reconstrução de Gaza representam 0,005% do total das doações dos países europeus. E devem mesmo ficar aquém das despesas da deslocação da comitiva portuguesa à Conferência de Doadores.
Três meses depois do horror dos bombardeamentos de Israel, os palestinianos conseguiram recolher mais de 2 mil milhões em promessas de doações para reconstruir Gaza. Foto Nações Unidas

O Governo português não quis deixar de aparecer na fotografia dos doadores para a reconstrução de Gaza, novamente destruída pelos bombardeamentos israelitas que este verão fizeram mais de 2000 mortos. Segundo o Ministério dos Negócios Estrangeiros, citado pela Lusa, o secretário de Estado Bruno Maçães - que representou o ministro Rui Machete na Conferência de Doadores - transmitiu aos conferencistas o "inequívoco apoio de Portugal" e ofereceu uma "contribuição simbólica, no valor de 25 mil euros, para o apoio à reconstrução" da faixa de Gaza.

Para termos uma comparação do montante das ajudas portuguesas a outros países fora do espaço da lusofonia, em 2012 - já sob a vigência dos cortes do memorando da troika - o ministro Aguiar Branco anunciou o apoio financeiro português destinado ao exército afegão no valor de um milhão de euros, ou seja, 40 vezes mais do que agora é prometido para reconstruir habitações e equipamentos públicos na Faixa de Gaza, onde cem mil pessoas perderam as suas casas.

A Alta Representante para os Negócios Estrangeiros da União Europeia, Catherine Ashton, afirmou que o conjunto dos países da UE se comprometeram em dar 450 milhões para a reconstrução, o que deixa Portugal na posição “simbólica” de contribuir com 0,005% das doações dos países europeus.

Na sua conta no Twitter, Bruno Maçães deu os parabéns aos organizadores da Conferência - a Noruega e o anfitrião Egito - por esta “forte mostra de apoio internacional a Gaza”. Mas, provavelmente, os 25 mil euros prometidos pelo Governo não seriam sequer suficientes para pagar as despesas com as viagens e estadia da comitiva do Secretário de Estado este fim de semana no Cairo. Os custos de reconstrução de Gaza foram estimados em seis mil milhões de euros, num trabalho a desenvolver nos próximos cinco anos, caso Israel levantasse por completo o bloqueio imposto ao território devastado.

Para termos uma comparação do montante das ajudas portuguesas a outros países fora do espaço da lusofonia, em 2012 - já sob a vigência dos cortes do memorando da troika - o ministro Aguiar Branco anunciou o apoio financeiro português destinado ao exército afegão no valor de um milhão de euros, ou seja, 40 vezes mais do que agora é prometido para reconstruir habitações e equipamentos públicos na Faixa de Gaza, onde cem mil pessoas perderam as suas casas.

O objetivo do presidente palestiniano nesta Conferência de Doadores era conseguir cerca de 3.200 milhões de euros e à saída do Cairo o objetivo não ficou longe de ser atingido. Mahmoud Abbas leva promessas de doações de quase 800 milhões de euros por parte do Catar, 400 milhões da Arábia Saudita, 160 milhões por parte dos Emirados Árabes Unidos e outro tanto do Kuwait, 170 milhões dos Estados Unidos, 450 milhões da UE (onde se incluem os 50 milhões da Alemanha, 25 milhões do Reino Unido e 20 milhões da Noruega, bem como os 25 mil euros do Governo português).

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Política
Comentários (1)