You are here

Donald Tusk, da Polónia, é o novo presidente do Conselho Europeu

Chefe do governo polaco desde 2007, Tusk é um convicto defensor das teses neoliberais. Irá substituir o belga Herman van Rompuy. Para o cargo de Alto Representante da União Europeia para os Negócios Estrangeiros foi escolhida a italiana Federica Mogherini, que sucede à britânica Catherine Ashton.
Tusk é primeiro-ministro da Polónia desde o dia 17 de novembro de 2007. A sua política é marcada por um forte apoio ao conceito de livre mercado com pouca intervenção do Estado. Foto de DanySahneMUC
Tusk é primeiro-ministro da Polónia desde o dia 17 de novembro de 2007. A sua política é marcada por um forte apoio ao conceito de livre mercado com pouca intervenção do Estado. Foto de DanySahneMUC

O novo presidente do Conselho Europeu é Donald Tusk, primeiro-ministro polaco, que irá substituir o belga Herman van Rompuy. A decisão foi tomada este sábado na cimeira extraordinária do Conselho Europeu, que reuniu em Bruxelas os chefes de Estado e de Governo da União Europeia.

Para além da decisão quanto à presidência do Conselho Europeu, ficou também decidido que a atual ministra dos Negócios Estrangeiros de Itália, Federica Mogherini, será a próxima responsável pelo Política Externa da União Europeia (UE), ocupando o cargo de Alta Representante para os Negócios Estrangeiros. O cargo era ocupado desde 2009 pela britânica Catherine Ashton.

Em conferência de imprensa, Rompuy disse estar convencido de que o Conselho Europeu fez escolhas acertadas. O ainda atual presidente do Conselho acrescentou que Donald Tusk iniciará funções no dia 1 de dezembro, para um mandato de dois anos e meio. Van Rompuy definiu Tusk como "um dos veteranos do Conselho Europeu" e um "homem de Estado para a Europa". Já sobre Federica Mogherini, Rompuy diz ser "o novo rosto da UE nas relações com os seus parceiros internacionais, que irá evidenciar as suas capacidades de mediadora na defesa do papel da UE na cena internacional.

Primeiro-ministro da Polónia desde 2007

Donald Tusk foi líder e depois presidente do Congresso Democrático Liberal. Em 1991, candidatou-se às eleições, sendo eleito deputado, e, em 1994, tornou-se vice-presidente da União da Liberdade, um novo partido criado depois da junção do Congresso Democrático Liberal com a União Democrática. Em seguida, porém, deixou o partido e ficou fora do Parlamento até 1997.

Em janeiro de 2001, fundou a Plataforma Cívica com dois outros políticos polacos, e assumiu como senador, entre 2001 e 2005. Em 2003, quando Maciej Płażyński, o primeiro líder da Plataforma Cívica, deixou o partido, Tusk ocupou o lugar que ainda mantém nos dias de hoje.

Em 2005, Tusk declarou a intenção de participar nas eleições presidenciais, enquanto líder da Plataforma Cívica, conseguindo um importante apoio da Associação de Jovens Democratas. Na primeira volta das eleições, venceu Lech Kaczyński, mas acabou por perder na segunda volta. É primeiro-ministro da Polónia desde o dia 17 de novembro de 2007. A sua política é marcada por um forte apoio ao conceito de livre mercado com pouca intervenção do estado e pela necessidade de cooperação com os outros estados-membros da União Europeia.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Política
(...)