You are here

Solidariedade com Gaza nas ruas de Lisboa

Solidariedade com Gaza nas ruas de Lisboa

O Bloco de Esquerda esteve na baixa de Lisboa a distribuir um folheto intitulado “Fim ao massacre de Gaza” e com uma faixa que não passou despercebida aos transeuntes.

Ao fim da tarde desta sexta-feira, várias dezenas de militantes do Bloco de Esquerda abriram uma faixa na Rua do Carmo, onde se lia “Free Gaza”, levando-a até ao Largo Camões, um dos maiores pontos de concentração de turistas.

“Neste momento está a acontecer um massacre em Gaza e ninguém pode ficar indiferente. Em tantas capitais do mundo, levantam-se as vozes de solidariedade com Gaza, exigindo a Israel que pare com este massacre. Também o Bloco faz com que essa voz se ouça nas ruas de Lisboa pela libertação de Gaza e pelo respeito pelo povo palestiniano”, declarou a coordenadora bloquista Catarina Martins aos jornalistas.

Catarina Martins defendeu “um boicote comercial e militar a Israel”, porque  não “bastam as palavras”. “O que está em curso em Gaza é um massacre”, mas a União Europeia pouco tem feito para "travar o banho de sangue”, considerou a coordenadora do Bloco, citada pela agência Lusa.

“A União Europeia reconheceu que Israel não teve uma ação proporcional, mas a União Europeia continua a fazer de conta que há dois lados iguais num conflito e isso não é verdade. Em Gaza moram quase dois milhões de pessoas num território que não é maior do que o Concelho de Tomar e sem acesso a medicamentos, sem acesso a água, sem acesso a alimentação e bombardeadas. Gaza é neste momento uma autêntica armadilha onde está a acontecer um massacre e continuar a olhar para este conflito como se duas partes iguais estivessem em confronto é enganarmo-nos sobre a natureza do que está a acontecer”, declarou Catarina Martins.