You are here

Em pé de guerra com quem quer menos democracia!

Estas eleições podem servir para dar força às vozes que têm defendido uma outra Europa. Com as vidas concretas no centro das preocupações políticas.

No próximo domingo há eleições para o parlamento europeu. Não se afigura provável que destas eleições saiam as grandes mudanças que a Europa necessita com carácter de urgência. O que poderá representar mais uma oportunidade perdida, quando tudo se agrava nesta Europa às arrecuas.

Estamos a precisar que aconteça o improvável!

O alheamento político vai assumindo, cada vez mais, mil e uma caras. Da ignorância pura e dura ao cinismo sobranceiro dos que conhecem muito bem “o filme” que eles próprios se encarregam de perpetuar ao dispensarem-se da responsabilidade de participação.

Estamos a precisar que todos assumam a sua responsabilidade!

Apesar do pouco poder efetivo dos deputados que saiam eleitos em 25 de Maio, nunca umas eleições europeias se apresentaram com tanta importância. A cidadania europeia tem neste dia uma enorme oportunidade de dar sinais claros sobre as políticas desta Europa onde valores fundamentais para a sobrevivência humana com um mínimo de dignidade têm cedido em toda a linha aos interesses mais gananciosos e egoístas dos mais ricos e poderosos.

Estamos a precisar de escolher entre a dignidade humana e os interesses dos poderosos!

Em nome de um modelo de sociedade que olha para as pessoas como recursos descartáveis, garante-se a acumulação infinita de riqueza de uns poucos, condenando a maioria a uma pobreza sem esperança e com uma espécie de pecado original de humanos excedentários. Desajustados da sustentabilidade económica dos privilégios dos poderosos e dos seus jogos de domínio financeiro e económico!

Estamos a precisar de um modelo de sustentabilidade baseado na vida das pessoas e não das grandes fortunas sem escrúpulos!

Estas eleições podem servir para dar força às vozes que têm defendido uma outra Europa. Com as vidas concretas no centro das preocupações políticas. Que não defendem tratados que perpetuam a austeridade e a pobreza para as próximas décadas em países como o nosso.

Estamos a precisar de dar sentido ao nosso voto! Eu votarei para manter a esperança de pé! Em pé de guerra com quem quer menos democracia!

Sobre o/a autor(a)

Designer. Membro da concelhia do Bloco de Esquerda de Caminha.
(...)