You are here

Miguel Guedes

Músico e jurista. Escreve com a grafia anterior ao acordo ortográfico de 1990.

Artigos do Autor(a)

2020/03/15 - 11:16am

Fica então para segunda-feira porque fechar as escolas a uma sexta-feira-13 pode dar azar. As escolas ainda não fecharam mas a Direcção-Geral dos Estabelecimentos Escolares anunciou o encerramento do atendimento presencial.

2020/03/09 - 2:09pm

A ressurreição de Joe Biden como alternativa a Donald Trump baseia-se no medo. Não estamos no território da desinformação, do triunfo das fake news ou da interferência russa.

2020/02/29 - 10:19pm

A perspectiva de uma vida fechada em casa própria não é fascinante para ninguém. Nem para os proprietários. São as escolas, os concertos e as ruas que nos dão vida. É a certeza de que o risco faz parte até à próxima vacina.

2020/02/23 - 1:47pm

Um jogador, pés de barro ou de tijolo, que marca em seis jogos consecutivos na Liga dos Campeões do ano passado, ultrapassando o recorde de Mário "voando entre os centrais" Jardel.

2020/02/16 - 10:02am

Uma síntese do que se escreveu quando já nada mais há a dizer. Morrer não é só uma fatalidade quando morrer é quase uma obrigação. É dignidade pelo livre arbítrio e pela escolha individual, o fim de um sofrimento atroz.

2020/02/12 - 10:40am

Nada como um debate orçamental para se fazer luz sobre a nova geografia da Assembleia da República.

2020/02/02 - 11:01am

O caso prático da teoria das válvulas de escape sofreu um rude golpe no 28.º Congresso do CDS. Ei-los, mais jovens e mais conservadores do que nunca, liderados por Francisco Rodrigues dos Santos, eleito presidente.

2020/01/26 - 10:27pm

Há um novo desporto em Portugal que, sendo praticado por boa parte das elites do poder financeiro português, corre o risco de se transformar em competição olímpica.

2020/01/12 - 11:40am

Há povos que se apresentam no Primeiro Mundo com uma latente incapacidade para resolver puzzles geográficos.

2020/01/06 - 12:15pm

Espanta-me a facilidade com que algumas pessoas ainda se espantam. E esta perplexidade cresce com o espanto que tantos mostram pela vacuidade dos discursos oficiais de Ano Novo.

Pages