You are here

Alexis Tsipras: "A única resposta para a crise é a solidariedade, o crescimento e a democracia"

Depois de uma paragem na República Checa e no Desobedoc no Porto, Alexis Tsipras, candidato da Esquerda Europeia à presidência da Comissão Europeia, continuou o seu périplo pela Europa. Este domingo participou num comício organizado pela Partido Alternativa Galega de Esquerda (AGE) em Santiago Compostela, Galiza. Alexis Tsipras destacou que no dia 25 de maio será “o início de uma grande mudança na Europa” porque “é necessário parar a austeridade e recuperar a democracia”.
Foto de Paulete Matos

No seu discurso, o dirigente Grego expôs as escolhas que se colocam perante os eleitores nas próximas europeias: “austeridade ou democracia; austeridade ou coesão social; Europa dos povos ou dos bancos; Europa da esquerda ou a da Merkel”.

Numa breve intervenção em inglês para os meios de comunicação galega, Alexis Tsipras mostrou-se confiante que a candidatura da Esquerda Europeia seria a “grande surpresa positiva” destas eleições com o crescimento da esquerda radical. “Foram 4 anos consecutivos de austeridade, de recessão, de destruição da coesão social e de aumento do desemprego: é por isto que é preciso parar estas políticas e reconstruir a Europa social” assegurou Alexis Tsipras e defendeu que a Europa “não é só os bancos e o capital” senão a sua gente, as pessoas e as suas necessidades.

“Nestas eleições temos a oportunidade de votar na Esquerda Europeia para dizer que já basta de políticas que destroem os nossos sonhos. É tempo de recuperar a democracia e o nosso futuro”.

 “Com Rajoy o país regrediu 35 anos”

Já no interior do Palácio dos Congressos, Tsipras interveio em grego e reiterou as mesmas mensagens perante um auditório cheio e que ovacionava-o cada vez que o tradutor transmitias as palavras sobre a necessidade de uma grande mudança na Europa para acabar com as políticas de austeridade. “Não podemos aceitar esta Europa da pobreza, da miséria e do desemprego. Por isso, companheiros e amigos, a prioridade da Esquerda Europeia é reconquistar o direito ao trabalho, devolver a esperança ao jovens, dar-lhes uma oportunidade nesta Europa que nós queremos”.

Não perdendo o fôlego, Tsipras carregou contra as políticas da direita de Mariano Rajoy no Estado Espanhol que “está a regredir o país 35 anos com os ataques reacionários aos direitos das mulheres. Isto é perigoso para toda a Europa porque se passa aqui, pode passar  qualquer lado”.

Tsipras afirmou que o SYRIZA será a primeira força política na Grécia e considera que a vitória do SYRIZA “terá consequências positivas, será um novo vento para toda a Europa”.

“Em vez de uma Europa do medo do desemprego, queremos uma Europa para as necessidades humanas, da sociedade, da esperança e da solidariedade. Em vez de uma Europa dos banqueiros e do capital, façamos a Europa dos povos. Não acreditamos nesta Europa dos bancos, da Merkel, não é a nossa Europa”, proclamou entre os aplausos de quem compunha a sala cheia.

O candidato da Esquerda Europeia assegurou que no próximo 25 de maio os cidadãos não vão simplesmente votar num partido ou noutro, mas vão votar na sua própria vida porque a Europa está em uma “encruzilhada histórica: seguir o caminho da pobreza e da austeridade ou votar pela mudança para o progresso, a justiça e o bem-estar social.”

Também criticou a dívida ilegítima criada pelas políticas da União Europeia em que os trabalhadores que a não criaram não a vão pagar.

Neste ato também participaram a candidata da AGE Lidia Senra e também os porta-vozes do AGE Xosé Manuel Beiras e Yolanda Díaz, o candidato da Izquierda Unida Willy Meyer e o dirigente do Bloco de Esquerda José Soeiro.


Notícia originalmente publicada no sítio www.alexistsipras.eu e no El Diário

Alternativa Galega de Esquerda en Europa

Termos relacionados Política
(...)