You are here

"O 25 de Abril fez-se pela possibilidade de escolha, que é a alternativa e não a alternância”

A coordenadora nacional do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, defendeu esta sexta feira que o país precisa de "alternativa" e não de “alternância” ou “rotativismo sobre as mesmas políticas”, reagindo assim ao apelo a “entendimentos políticos” feito pelo Presidente da República.
Foto de Paulete Matos.

"O 25 de Abril fez-se pela possibilidade de escolha, que é a alternativa e não a alternância. Precisamos de projetos políticos claros, diferentes, para que as pessoas possam escolher e não de rotativismo sobre as mesmas políticas", defendeu Catarina Martins.

A deputada bloquista reagia assim ao discurso do Presidente da República, Cavaco Silva, que recusou hoje a política de "vistas curtas" ditadas pelos taticismos e insistiu na necessidade de "entendimentos políticos" sobre as questões essenciais.

A coordenadora nacional do Bloco de Esquerda defendeu que "a alternância significa ficar tudo sempre na mesma" e que isso é que "retira a confiança das pessoas".

Catarina Martins afirmou ainda estar "completamente de acordo" com as palavras do Presidente da República sobre a necessidade de combater a corrupção, lembrando que ainda hoje "está impune" o "escândalo do BPN", que foi "levado a cabo pela elite do cavaquismo de Dias Loureiro, Duarte e Lima, Oliveira e Costa".

Termos relacionados Política
(...)