You are here

Bloco questiona governo sobre estragos do temporal na costa aveirense

O líder parlamentar do Bloco pergunta ao Governo que medidas está a preparar para reparar os estragos e proteger as populações. Pedro Filipe Soares interroga também: “Que medidas de fundo e estruturais vai o Ministério [do Ambiente] tomar para combater os efeitos da erosão costeira que tem especial incidência no distrito de Aveiro?”
Pedro Filipe Soares questiona o Governo: “Que medidas de fundo e estruturais vai o Ministério [do Ambiente] tomar para combater os efeitos da erosão costeira que tem especial incidência no distrito de Aveiro?” - Foto de Paulete Matos

O líder parlamentar do Bloco questionou o Governo, através do ministério do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia, sobre os estragos do temporal na costa aveirense e as medidas que o Governo irá tomar. (aceda a texto integral da pergunta em pdf)

Pedro Filipe Soares, que foi eleito pelo distrito de Aveiro, salienta que a erosão costeira colocou em risco as populações do distrito, nos últimos dias e lembra que se trata de um problema recorrente, que é agravado durante as marés vivas e no inverno.

O deputado bloquista refere: "A situação atual é drástica para as populações afetadas e exige uma resposta imediata. Em Espinho verificaram-se cheias. No Furadouro, o mar galgou as proteções e inundou a zona do bairro dos pescadores. Ainda no Furadouro, o próprio posto de praia da cooperação de bombeiros foi afetado. Na Praia da Barra foi arrastado um bar e destruiu um passadiço. Ao longo da costa vários postos foram danificados".

Pedro Filipe Soares sublinha que, face ao avanço do mar, "as medidas que vários governos têm adotado têm-se revelado dispendiosas mas ineficazes e muitas vezes mesmo erradas", já que "estruturas como pontões apenas resolvem localmente o problema, com a consequência gravosa de o tornar pior a sul da localização".

Lembra ainda que "no início de 2013, a Administração do Porto de Aveiro (APA) vendeu 100.000 toneladas de areias dragadas e no final do ano, 1.200 toneladas dessas areias estão ainda a ser depositadas no seu meio natural, para reforçar o cordão dunar a sul da Costa Nova, havendo desproporção entre as areias destinadas para venda e para recolocação na costa”.

O Bloco pretende que o ministério do Ambiente garanta que as areias retiradas e a retirar da costa pela Administração do Porto de Aveiro, sejam recolocadas em programas de combate à erosão costeira.

Termos relacionados Política
(...)