You are here

Linha Saúde 24: União dos trabalhadores é um "grande sinal de um país que não se resigna"

A coordenadora nacional do Bloco de Esquerda esteve este sábado na concentração de apoio aos trabalhadores da Linha de Saúde 24, em Lisboa. Catarina Martins afirmou que o que está a acontecer na empresa “é um exemplo do que acontece quando se privatizam e concedem a privados serviços públicos”.
Concentração de apoio aos trabalhadores da Linha de Saúde 24 que teve lugar pela manhã, no Porto.

"O que está a acontecer na Linha Saúde 24 é um exemplo do que acontece quando se privatizam e concedem a privados serviços públicos, a Linha Saúde 24 faz parte do Serviço Nacional de Saúde", frisou Catarina Martins em declarações à agência Lusa.

Lembrando que a concessão da Linha - a LCS - "tem os enfermeiros a trabalharem a falso recibo verde", a dirigente bloquista referiu que "os trabalhadores da Saúde 24 uniram-se, rejeitaram esse corte que é indigno e aquilo que exigem é o que todos os trabalhadores têm direito: um contrato de trabalho para o trabalho que efetuam e um salário que é seu por direito, pelo trabalho que têm”.

“Eles estão a dar uma grande lição ao país, porque estão juntos, solidários, com uma greve que é um sucesso, com uma união generosa entre todos, a lutar por aquilo que é seu", acrescentou a coordenadora nacional do Bloco de Esquerda.

Não existe "um fim para quem quer cortar e para quem quer atacar os direitos dos trabalhadores", frisou Catarina Martins, adiantando que "cada vez que os trabalhadores aceitam que lhes sejam retirados direitos, sabem que mais direitos vão ser retirados a seguir".

Segundo a deputada do Bloco de Esquerda, a união dos trabalhadores da Linha Saúde 24 é um "grande sinal de um país que não se resigna" e que luta pelo seu trabalho e pelo Serviço Nacional de Saúde.

Segundo um trabalhador da Linha de Saúde 24 de Lisboa, este serviço costuma ser assegurado por "pelo menos 20 pessoas", tendo neste sábado funcionado com "três a quatro supervisores", o que representa "menos de um quinto do que é normal".

Esta manhã, a eurodeputada Alda Sousa e o dirigente bloquista José Soeiro também participaram na concentração de apoio aos trabalhadores da Linha de Saúde 24 que teve lugar em frente ao call center do Porto.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Política
(...)