You are here

Trabalhadores exigem salários à porta da casa do patrão

Há duas semanas que dezenas de homens cercam a casa do patrão, em Setúbal, que os levou para França mas não lhes pagou os ordenados. Os trabalhadores reclamam entre 900 e 3.500 euros cada um, conforme o tempo que estiveram emigrados.
300 trabalhadores foram contratados para instalar painéis solares em França, mas não receberam o salário devido. Estão há duas semanas à porta da casa e da loja do patrão reclamando os seus salários

A CMTV deu a voz aos trabalhadores que há duas semanas estão à porta da casa e da loja do patrão, que os levou para trabalharem em França mas não lhes pagou os salários devidos. (aceder à reportagem)

No total, terão sido contratados 300 trabalhadores para instalarem painéis solares no sul de França, entre o início de outubro e meados de dezembro.

Estes trabalhadores dormiam em quartos para cinco pessoas e recebiam dez euros por dia para alimentação. As condições de vida e de trabalho eram péssimas.

O pior, porém, foi que deixaram de receber salários e até o dinheiro para a alimentação.

Desde há duas semanas, os trabalhadores cercam a casa do patrão, dizem que não têm dinheiro para comer e exigem que o homem que os levou para França pague o que lhes deve.

As dívidas variam entre 900 euros e 3.500 euros, dependendo do tempo em que os trabalhadores estiveram emigrados. O patrão diz que não tem dinheiro para saldar a dívida totalmente.

Termos relacionados Sociedade
(...)