You are here

"Governo quer privatizar riqueza do Mar dos Açores"

O Bloco de Esquerda/Açores acusa o Governo da República de "servir interesses económicos de grandes empresas mundiais" com a sua proposta de Lei de Bases do Ordenamento e Gestão do Espaço Marítimo.
Bloco/Açores defende que a Região não se venha a tornar numa espécie de agência imobiliária do fundo marinho. Foto Zanthia/Flickr

O Bloco de Esquerda/Açores acusa o Governo da República de "servir interesses económicos de grandes empresas mundiais" com a sua proposta de Lei de Bases do Ordenamento e Gestão do Espaço Marítimo.

A deputada do Bloco de Esquerda no parlamento açoriano acusou hoje o Governo da República de querer privatizar o mar dos Açores para servir interesses económicos de grandes empresas mundiais, desrespeitando os direitos legais dos Açores, e desafiou todos os partidos a convencer as suas estruturas nacionais – ou pelo menos os deputados dos Açores na Assembleia da República – a votar contra a Proposta de Lei de Bases do Ordenamento e Gestão do Espaço Marítimo, que determina a exclusividade da gestão do Mar e da exploração dos fundos marinhos, pelo Governo da República.

“Como há dez anos afirmámos, uma das âncoras do futuro dos Açores está aqui, no nosso mar. E, apesar do atraso, a pergunta que se coloca é esta: como vamos defender esta riqueza, garantindo a sua sustentabilidade?”. Este foi o centro da declaração política proferida esta manhã por Zuraida Soares, que voltou a defender a importância da criação de um Centro Internacional de Investigação do Mar na Região, tendo como ponto de partida o conhecimento e o reconhecimento internacional do Departamento de Oceanografia e Pescas da Universidade dos Açores.

Tendo em conta as condições geográficas e o conhecimento adquirido, o Bloco de Esquerda entende que “os Açores podem ter, no mundo, um papel cimeiro, naquilo a que hoje muitos chamam a economia do mar”. Basta referir, por exemplo, que a exploração dos fundos marinhos dos Açores, só em cobalto, poderá render cerca de 200 milhões de euros por ano.

Embora a proposta de criação de um Centro de Investigação Científica Internacional tenha recebido o apoio dos sectores ligados à investigação científica, lamentavelmente houve apenas “silêncio – e até o desdém – por parte de todos os partidos, mas principalmente do PS e do Governo Regional”, disse Zuraida Soares.

A deputada do Bloco de Esquerda pediu explicações ao Governo Regional sobre o negócio que tem com a empresa internacional Nautilus para a exploração do mar do arquipélago dos Açores, mas não obteve qualquer resposta.

Zuraida Soares desafia todos os partidos a passar das palavras aos actos na defesa das riquezas dos Açores, para que a Região não se venha a tornar numa espécie de agência imobiliária do fundo marinho, em vez de tirar proveito directo dos seus recursos.

Termos relacionados Ambiente
(...)