Saara Ocidental: Parlamento Europeu “preferiu ficar do lado do opressor”

10 de December 2013 - 16:50

PE aprovou um acordo de pescas com Marrocos que viola o direito internacional, legitima a ocupação do Saara Ocidental e “consegue até ser mais original do que o acordo celebrado pelos Estados Unidos, que deixou de fora as águas” daquele território, acusou Marisa Matias.

PARTILHAR
Marisa Matias sublinhou que o Parlamento Europeu “podia ter apoiado a democracia, os direitos humanos e a liberdade, mas preferiu ficar do lado do opressor” - Imagem do blogue aapsocidental.blogspot.pt

“É preciso decidir de uma vez por todas se para a União Europeia e as instituições europeias vale a pena lutar pelos direitos humanos”, desafiou a eurodeputada do Bloco de Esquerda depois de “um voto em que o Parlamento Europeu decidiu ficar do lado do opressor”.

No mínimo, a União Europeia deveria ter deixado as águas do Saara Ocidental de fora de um acordo de pescas com Marrocos”, disse Marisa Matias. “Marrocos negoceia recursos que não são seus, inclui as águas do Saara Ocidental, que também não lhe pertencem”, acrescentou Marisa Matias, por isso a União Europeia “legitimou a ocupação desse território”.

Tal decisão, recordou a eurodeputada, “é ilegal à luz do direito internacional, viola decisões do Tribunal Internacional de Justiça e viola várias resoluções da ONU”. Marisa Matias sublinhou que o Parlamento Europeu “podia ter apoiado a democracia, os direitos humanos e a liberdade, mas preferiu ficar do lado do opressor”.

Artigo publicado pelo portal do Bloco de Esquerda no Parlamento Europeu